quarta-feira, 14 de agosto de 2019

PRINCESA...

Minha princesinha com 3 aninhos: AIMÊ COLARES - desde cedo já tinha bom gosto. Filha te amo!!!!!!!!!!

Fé e emoção marcam visita da imagem peregrina de Nossa Senhora da Conceição à Semtras

Fé, emoção e devoção à mãe de Jesus marcaram a manhã desta terça-feira (13) no auditório da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras). Com cantos e orações, os servidores da Semtras e convidados receberam a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora da Conceição.
Com emoção, a Secretária municipal de Trabalho e Assistência Social Celsa Brito destacou os sinais emitidos por Nossa Senhora da Conceição no momento da visita. "Eu identifiquei a letra da minha mãe. Esse "M" do painel era a mesma escrita de minha mãe falecida há 19 anos e me deixou muito emocionada, pois senti aqui a presença dela". A secretária agradeceu a todos pela presença nesse momento especial de devoção a Nossa Senhora e pediu a interceção de Maria com bênçãos para a missão de realizar o melhor trabalho da gestão para o povo de Santarém.
A secretária de Finanças Josilene Pinto e a secretária de Saúde Dayne Lima celebraram a visita da imagem peregrina ao lado da secretária de Assistência Social Celsa Brito, demais convidados e servidores.
A Semtras recebe todos os anos a visita da Santa, um momento de oração e preces, pedidos marcado de muita emoção e renovação da fé.
Geisa de Oliveira Agência Santarém

Agentes federais intervêm no Complexo Penitenciário de Cucurunã

Agentes Prisionais Federais assumiram o comando das atividades operacionais do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura. A intervenção teve início na segunda-feira, dia 12, e têm à frente agentes federais que já atuam em Santarém. A coordenação da penitenciária segue sendo feita por Vianey Lira.
O Centro de Recuperação vem passando por uma série de mudanças, como a demissão de funcionários mais antigos e a contratação de outro mais novos para um período de dois anos. Os novatos estão passando por um período de treinamentos, enquanto os que já estão lá passam por readequações, como ter que andar armados na parte de dentro do local – o que tem os deixados preocupados, pois por terem contato maior com os presos, os riscos de vida aumentam as chances de os tornarem reféns.
Outra mudança feita foi a suspensão das atividades de socialização e aulas na escola da penitenciaria – isso desde o início de agosto. Com a intervenção, o coordenador pedagógico da escola foi demitido, não tendo no momento alguém capaz de substituí-lo.
O novo coordenador da escola e as duas pessoas para o auxiliarem devem ser definidos em um curto período de tempo, para que os presos que estudam possam voltar às atividades. O funcionamento da escola envolve o Sistema Penitenciário (Susipe), Vara de Execução Penal (justiça) e Semed e Seduc (educação).
Enquanto isso, um treinamento para novos agentes está sendo feito no próprio centro de recuperação.
Aumento da segurança após massacre em Altamira
A intervenção federal em Cucurunã corrobora com a informação dada pelo Jornal O Impacto, no dia 29 de julho, que a segurança no Centro de Recuperação Silvio Hall de Moura (CRASHM) seria reforçada para evitar que algo como o que aconteceu em Altamira não se repita em Santarém.

RG 15 / O Impacto

Força-tarefa contra desmatamento apreende madeira e equipamentos em cinco municípios do Pará

O Governo do Pará vem intensificando o combate ao desmatamento ilegal. Nos últimos cinco dias, equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), da Polícia Militar, percorreram 620 quilômetros em cinco municípios. A força-tarefa seguiu de Moju a Tailândia, no sudeste, e de Altamira a Senador José Porfírio, terminando em Anapu, no oeste.
Houve apreensão de cerca de 600 toras de madeira, dois tratores, dois rifles e munições, e desmontado um acampamento de extração de madeira ilegal dentro da floresta. Um homem foi autuado por crime ambiental. A estimativa é que a quantidade de madeira apreendida chegue a 2 mil metros cúbicos, o suficiente para encher 100 caminhões.
Denominada “Falcão Peregrino”, a operação faz referência à ave que voa em grandes altitudes no Brasil e é considerada uma das mais rápidas – alusão ao monitoramento via satélite que o Estado implantou para combater o desmatamento ilegal de forma mais inteligente e precisa. A tecnologia é usada pelo Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam), que faz o acompanhamento da área de floresta amazônica em território paraense, além do planejamento das ações ambientais de repressão.
“Realizar operações de fiscalização ambiental no Pará é um desafio, primeiro pelas dimensões do Estado. São mais de 1.247.000 km quadrados. O monitoramento se torna extremamente importante. Nós montamos as nossas operações com o cruzamento de dados estaduais e federais, imagens de qualidade, e essas tecnologias são levadas com a equipe que vai para campo. Então, rapidamente a gente consegue buscar informações para a tomada de decisões”, informou a diretora de Fiscalização da Semas Andréa Coelho, responsável pelo Cimam.
Destinação – As toras apreendidas podem ser leiloadas ou doadas. Na última quinta-feira (8), o governo do Estado assinou o termo de doação de quase 2 mil metros cúbicos de madeira para seis prefeituras do Arquipélago do Marajó. Parte dessa madeira será utilizada na construção de pontes e escolas.
A operação também fechou dois garimpos clandestinos. Os motores utilizados na lavra do minério extraído sem autorização dos órgãos competentes foram apreendidos, e o proprietário autuado e multado. A área onde foram realizadas as escavações estão embargadas, não podendo receber concessão de licenças, autorizações, serviços ou qualquer outro tipo de benefício ou incentivo público por parte dos órgãos e entidades da administração pública estadual.
Alertas de Desmatamento – Análises da Semas sobre os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), por meio do Sistema DETER, apontam que de agosto de 2018 a julho de 2019 (sazonalidade Prodes), a área recoberta por Alertas de Desmatamento aumentou 59,21% em comparação ao período entre agosto de 2017 a julho de 2018. Em números absolutos, a área dos Alertas passou de 1.547 km² para 2.463 km² no Pará. Desse total, 71,32% (equivalente a 184.402,69 hectares) foram registrados em áreas federais, e apenas 28,68% (74.161,42 ha) em áreas estaduais.
Segundo o titular da Semas, Mauro O’de Almeida, a integração de todos os órgãos ambientais é importante. “O Estado do Pará entende como prioritário o combate ao desmatamento, mas também entende que esse combate não será eficiente se não houver cooperação entre os entes federativos – União, Estados e Municípios -, bem como o desmatamento não é um problema a ser resolvido apenas por governos, mas também pelo setor produtivo e a própria sociedade. Sociedade, entenda-se, dos municípios que possuem grandes áreas florestais, mas que têm baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O Pará tem acordos de cooperação com o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), a própria Polícia Federal. Tentamos ainda com o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis)”, informou o secretário.
Investimentos – O Governo do Pará já conseguiu recursos internacionais para combater a derrubada ilegal da floresta no Estado, fruto da cooperação entre Brasil e Alemanha, por meio do Projeto KfW. O valor aproximado é de 12,6 milhões de euros. O acordo foi assinado em junho, e deve começar a ser concretizado em 2020. Os recursos deverão ser aplicados até 2023.
Essa aplicação em obras e ações está prevista no Plano Plurianual (PPA) 2020/2023. Mas a Semas já iniciou as ações necessárias para executar o que foi planejado, como a construção de cinco Núcleos Regionais (Nures) da Secretaria, duas unidades administrativas do Instituto do Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), aparelhamento funcional e tecnológico das construções e aquisições de uma aeronave e seis embarcações, além da capacitação de servidores da Semas. O objetivo é descentralizar as ações de comando e controle nas áreas de fiscalização e monitoramento no Pará.
Fonte: Agência Pará

terça-feira, 13 de agosto de 2019

É A PEÇA QUE FALTA...

Gabigol torce por final feliz com Balotelli no Flamengo: "Espero que venha"

Gabigol concede entrevista no Ninho do Urubu, CT do Flamengo — Foto: Flamengo / Divulgação

Atacante diz que mantém contato com o italiano e espera parceria no Rubro-Negro


PORNÔ EM BAIXA...

PSL decide expulsar deputado Alexandre Frota

Parlamentar, eleito com 155 mil votos, tem criticado publicamente o governo do presidente Jair Bolsonaro. Frota se absteve no segundo turno da votação da reforma da Previdência.

ÉGUA AGOSTO! VAI JÁ!!!!!


Uma motorista perdeu o controle do carro e acabou capotando na Avenida Dom Frederico Costa, no bairro Prainha, na madrugada desta terça-feira, dia 13. Segundo informações preliminares, a condutora – ainda não identificada – teria perdido o controle do veículo, batido em outro carro e capotando logo em seguida. A condutora foi socorrida por militares e o Corpo de Bombeiros saiu ilesa do acidente, que resultou apenas em danos materiais.
Fonte: O Impacto

Sem fiscalização, construções avançam área de domínio público na PA-457

Quem percorre a PA-457, rodovia estadual que liga Santarém a Vila Balneária de Alter de Chão, nos últimos dias tem observado aumentar o número de construções que ocupam de forma irregular a faixa de domínio público, área onde é proibida qualquer construção. Moradores e leitores do O Impacto questionam as construções têm aval do poder público.
No dia 29 de julho, em matéria publicada pelo O Impacto, foi denunciada uma obra que possivelmente descumpre a Lei. A construção está localizada a menos de 10 metros da PA-457, que liga Santarém a Alter do Chão, mais exatamente no acostamento da primeira curva sinuosa após a saída da vila balneária.
“Cadê a Seminfra, Crea e Seop? Essa curta distância do eixo de uma rodovia estadual pode?”, questionam os moradores e turistas que visitam a vila balneária. A possível invasão do limite da faixa de domínio, em área onde é proibida qualquer construção, constitui, uso ilegal de bem comum do povo e os denunciantes solicitam às autoridades competentes uma solução para questão.
Já no dia 3 de agosto foi feita uma nova denúncia, dessa vez em uma obra na comunidade de São Braz, aproximadamente a 100 metros da ponte. Não é exagero dizer, que a popular ‘puxada’ está localizada quase dentro rodovia, em flagrante desrespeito a legislação.
Em entrevista ao O Impacto, o Chefe Regional do Núcleo do Baixo Amazonas da Secretaria de Estado e Transporte (Setran), Delton Tapajós, afirmou que essas construções são de conhecimento do órgão, sendo este um problema muito antigo.
“A PA-457 e a PA-370 (Santarém/Curuá-Una) sempre tiveram esse problema. Hoje existe uma largura exata de construção (onde não se pode construir), que é de 30 metros do eixo da estrada para a direita e esquerda, ou seja, são 60 metros que essas pessoas não podem construir. Hoje existem muitas construções próximas a PA e um possível alargamento da PA, fazendo uma ciclovia, por exemplo, obrigaria essas pessoas se retirarem daquele espaço”, comenta Delton.
De acordo com o Chefe Regional, o Órgão – que supervisiona as PA’s de 22 cidades da região – tem trabalhado em parceria com o Setran de Belém para a elaboração de um levantamento a cerca de construções que invadem a distância regulamentar ao lado das PA’s.
“Nós temos um estudo, junto do Setran Belém. Temos uma equipe de patrimônio e uma de fiscalização das PA’s. A equipe de patrimônio já veio em nosso município, quando estivemos visitando várias outras cidades da região e essa equipe ainda fará um levantamento, visitando tanto as duas rodovias citadas (PA-457 e PA-370), para fazermos medições e orientarmos as comunidades e os moradores desse entorno para que eles possam recuar. Assim poderemos fazer um estudo para implantação de ciclovias e melhora na trafegabilidade”, afirma o chefe-regional.
Segundo Delton Tapajós, a Setran irá cobrar das pessoas que estão com construções ao lado das duas PA’s para que possam respeitar o limite que está na legislação. Com isso, poderá ser evitada uma série de transtornos futuramente, pois as pessoas que estão lá (dentro desse espaço) terão que respeitar o limite.
ALTERAÇÃO EM LEI MUNICIPAL: O assunto vai de encontro com uma decisão municipal de 2017, quando a Câmara Municipal de Santarém chegou a aprovar a alteração da lei complementar 007/2012, que trata do uso e ocupação do solo do município, e retirou do texto a proibição de construções em áreas de preservação permanente e no entorno da rodovia estadual (PA-457) que dá acesso à vila de Alter do Chão.
No entanto, ainda que tais casos possam ser enquadrados nesta lei complementar, seria necessário um processo de legalização da obra, não podendo ela ser feita de qualquer maneira

Neymar viajou de Paris para Portugal para encontrar Paula Fernandes



Neymar Jr, viajou de Paris para Lisboa com seu pai para prestigiar a cantora Paula Fernandes, que realizou uma série de shows em Portugal nos últimos dias.
Convidado pela própria cantora, Neymar assistiu a um show na noite desta segunda-feira (12) e surpreendeu os fãs que acompanhavam a apresentação.
Logo após Paula cantar "Juntos", versão brasileira da música "Shallow" de Lady Gaga, o jogador foi chamado para ao palco.

GOVERNADOR EM SANTARÉM....




kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!

8º encontro da família Colares em alter



Nélio defende a inclusão do Pará no sistema de arrecadação do ICMS sobre a energia

Prefeito Nélio contestou a alta tarifa de energia elétrica que os paraenses estão pagando: justiça tributária.Durante audiência na Comissão de Minas e Energia, da Câmara dos Deputados, em Brasília, na última semana, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, afirmou que o atual modelo da legislação do setor elétrico brasileiro inviabiliza o desenvolvimento do estado do Pará. Nélio também defendeu que o estado tem direito a sua cota-parte no sistema de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), já que produz grande parte da energia gerada ao Centro-Sul brasileiro.
Nélio, que também é presidente da Federação das Associações dos Municípios do Pará (FAMEP), externou preocupação a respeito dos valores determinados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que incidem na tarifa dos paraenses. 
"Hoje, há comprovadamente um peso no orçamento familiar dos paraenses por conta do preço tarifa. Não é possível a ANEEL determinar bandeira vermelha no mês de agosto, por conta do nível dos reservatórios no Centro-Sul do país. Essa decisão impacta diretamente no bolso dos paraenses. O atual modelo da legislação do setor elétrico está inviabilizando o desenvolvimento do Pará. Só pra dar um exemplo, pequenas e médias empresas estão fechando as portas diariamente, porque não suportam o peso de pagar uma conta de luz tão cara. Mais de 40% do salário mínimo do trabalhador está sendo consumido apenas para pagar energia. Esse é um debate que precisa urgentemente ser mais abrangente, porque não é possível continuar do jeito que está", argumentou o prefeito.
Contrapartida tributária
O prefeito também cobrou a cota-parte do ICMS da energia ao Pará. Segundo Nélio, não se pode mais conceber que um estado tão rico, com uma matriz energética de grande porte, seja apenas distribuidor.
"O Pará, enquanto produtor de energia, é injustiçado porque leva esse recurso ao Maranhão, ao Tocantins, para o Sistema Interligado e a vários estados que recebem energia produzida no estado. Em contrapartida, não recebemos nada de ICMS dessa energia gerada em Tucuruí, distribuída em São Luís, o ICMS acaba ficando no estado do Maranhão. O ICMS é parte na origem e parte no destino. Quando compramos uma geladeira, uma parte do ICMS fica em São Paulo, por exempo, o estado produtor desse bem, e a outra parte para o destino final", pondera.
Para o gestor santareno, além da falta de isonomia por parte da União, a população do estado perdeu de vez a paciência e já não aguenta pagar uma das maiores tarifas do Brasil. "Nós estamos aqui vivendo uma nova Cabanagem. A população não aguenta mais. Até exemplos de atitudes mais extremadas, que não se justificam, contra a Celpa já foram registradas. A Celpa é apenas a concessionária, ela aplica as regras do jogo determinadas pela ANEEL. Temos sim, urgentemente, que estender esse debate e chegar a uma solução porque os mais de 8 milhões de paraenses precisam pagar uma tarifa mais justa", reiterou.
Samuel Alvarenga Agência Santarém

Linhão que levará do PA ao Sudeste energia de Belo Monte tem torres derrubadas

Um linhão de transmissão que levará do Norte ao Sudeste a energia da hidrelétrica de Belo Monte foi alvo de atos de vandalismo, que derrubaram torres da estrutura.
Mas o incidente não impactará o cronograma do empreendimento, que está em fase de testes, disse à Reuters a chinesa State Grid, responsável pelo projeto.
Com mais de 2,5 mil quilômetros de extensão, a linha teve um total de cinco torres derrubadas entre quinta e sexta-feira na região de Paracatu, em Minas Gerais, mas equipes de manutenção já foram acionadas, assim como as autoridades locais, chamadas para investigar o ocorrido, segundo a State Grid.
O incidente acontece em momento crucial para o empreendimento, orçado em 8,77 bilhões de reais, que já recebeu licença ambiental de operação e está finalizando testes para entrada em operação comercial.
Belo Monte, no Pará, uma das maiores hidrelétricas do mundo, já conta com um linhão em operação, que vai até Minas Gerais e foi construído pela State Grid em parceria com Furnas e Eletronorte, subsidiárias da estatal Eletrobras. Mas o segundo linhão é fundamental para evitar restrições à produção da usina, cujas obras devem ser concluídas ainda em 2019.
A State Grid, inclusive, comprometeu-se a antecipar a entrega do empreendimento, que originalmente estava previsto para dezembro.
“Não impacta absolutamente nada, continuam os testes”, afirmou um porta-voz da State Grid à Reuters, acrescentando que foram feitas adaptações para possibilitar o andamento dos trabalhos enquanto as torres não são reerguidas.
Imagens vistas pela Reuters, que circulam pelo WhatsApp, mostram torres caídas ao chão e as bases das estruturas, onde aparentemente cabos de sustentação foram cortados.
A State Grid atribuiu a queda das torres a “atos de vandalismo” e disse esperar que as autoridades possam identificar os responsáveis.
Mais cedo neste ano, em janeiro, houve registro da queda de três torres em Catalão, Goiás, que pertenciam ao primeiro linhão de transmissão de Belo Monte, já operacional, após relatos de “vendaval” na região.
Na ocasião, a State Grid atribuiu o incidente ao “forte vento” e ao “mau tempo” e realizou reparos para retomar a operação do empreendimento.
O primeiro linhão, com mais de 2 mil quilômetros em extensão, recebeu investimentos de cerca de 5 bilhões de reais e foi inaugurado em dezembro de 2017.
Tanto a primeira quanto a segunda linha utilizam tecnologia de corrente contínua em ultra-alta tensão (800 kilovolts), o que reduz perdas de energia no longo trajeto entre a hidrelétrica e a região Sudeste, onde se concentra o consumo no país.