quarta-feira, julho 06, 2016 0 Comments

Prazer, Donatti: entenda por que o "caudillo" zagueiro encantou o Fla

Cobiçado pelos grandes da Argentina, zagueiro tem salto no currículo na Gávea perto dos 30 anos. Dirigente exalta Libertadores, e Loco Abreu diz que argentino é completo

Por Rio de Janeiro

Há quase uma semana no Rio de Janeiro, Alejandro Donatti fez força e conseguiu a transferência para cumprir o maior desafio de sua carreira: jogar no Flamengo. Não que o Rosário Central seja pequeno ou tenha pouca tradição na Argentina, mas não tem em seu país o peso do Rubro-Negro no Brasil - o quinteto dos maiores hermanos tem Boca Juniors, River Plate, Racing, Independiente e San Lorenzo. A ascensão do jogador, que completa 30 anos em outubro, é lenta e gradual na carreira. No currículo, times pequenos e médios antes do Rosario até chegar à primeira divisão argentina em 2012 pelo Tigre, pelo qual foi vice-campeão da Sul-Americana no mesmo ano, em polêmica final com o São Paulo (veja no vídeo acima lances de destaque do zagueiro: briga com Luís Fabiano, gols e falha na Libertadores deste ano).
- Foi um erro enorme, eu que perdi esses três pontos e prejudiquei mais companheiros. Peço perdão à torcida - disse Donatti ao falhar numa partida pelo Rosario ano passado.
A contratação pode ser, finalmente, selada nesta quarta-feira. E pode-se dizer que durou de seis a sete meses no total. Afinal, em janeiro o Rubro-Negro fez as primeiras tentativas. Através do empresário Léo Rabello, que intermediou a chegada de Mancuello, do Independiente, o Fla mostrou interesse em Donatti, que chegou a comentar ao GloboEsporte.com:

- Houve contato com o Flamengo. Eles estão falando com meu representante - disse o atleta, que teve contratação indicada este ano por Edgardo Bauza, técnico do São Paulo.
Conheça um pouco mais do jogador, suas características, a personalidade e um pouco mais do 13º reforço rubro-negro nesta temporada.
Donatti com a bola no pé: jogador esteve cotado para substituir Lollo, que foi para o River (Foto: Divulgação Rosario Central)Donatti em ação: jogador esteve cotado para substituir Lollo, que foi para o River (Foto: Divulgação Rosario Central)
"Zagueiro top"
Foram muitas ofertas e algumas tentativas frustradas - Cleber e Polenta, por exemplo - até chegar a Donatti, que era um dos nomes preferidos da diretoria do Flamengo. Quarto zagueiro contratado no ano, o argentino é o maior investimento e a maior esperança de retorno técnico. O clube vai pagar - metade este ano e o restante ano que vem - cerca de R$ 5 milhões por 100% dos direitos do jogador, que vai assinar por três temporadas. No Rosario, fez quatro gols na última Libertadores. O time foi eliminado nas quartas de final.
- É um atleta que vínhamos monitorando faz tempo e que estava na mira dos principais times argentinos. A performance dele na Libertadores, combinada com a relutância do técnico e clube em liberá-lo, ratifica todo o prestígio que o atleta goza junto aos torcedores de Rosario. Espero que ele possa colocar em prática no Flamengo o perfil de liderança, bom jogo aéreo (defensivo e ofensivo), combinado com boa colocação e bom aproveitamento nas cobranças de falta - disse o vice-presidente de futebol Flavio Godinho, um dos entusiastas do reforço.
Loco Abreu: "Ótima contratação"
Carrasco do Flamengo em 2010, Loco Abreu conviveu por mais de um ano com Alejandro Donatti no Rosario Central, nas temporadas de 2013 e 2014. Procurado pelo GloboEsporte.com para comentar o novo reforço rubro-negro, ele foi só elogios:
- Donatti é um zagueiro completo. Tem tudo. Chuta com a perna direita e com a perna canhota, é excelente no jogo aéreo, bate forte as faltas e faz gols. É um dos melhores zagueiros que disputou esta Libertadores. A contratação que o Flamengo fez é ótima.
Polêmico? Não, apenas "argentino"
No início da carreira, Donatti levava mais cartões. Chegou a receber 10 em 32 jogos na Segundona da Argentina pelo Boca Unidos na temporada 2011/2012. Mas, no geral, são poucas advertências e expulsões. Em 109 partidas pelo Rosario Central, apenas um cartão vermelho. Mas foi na final da Sul-Americana de 2012, contra o São Paulo, que ele ficou um pouco conhecido por aqui. Donatti se envolveu em confusão com... (adivinha?) Luis Fabiano e os dois foram expulsos. Em entrevista na Argentina, ele disse que não era um jogador violento e apresentou explicação curiosa sobre o episódio.
- Somos argentinos e esse é nosso estilo de jogo. Jogamos muito forte, pressionamos bastante. Peço desculpas se eles se sentiram ofendidos, mas o Tigre é coração e garra. E é assim que devemos jogar em uma final - disse, antes de mostrar arrependimento pela confusão. - Fiquei muito mal com isso. O Luis Fabiano também ficou porque estamos fora da final. Me arrependo muito, porque não sou assim. Peço desculpas aos meus companheiros e também ao Luis Fabiano, que é um grande jogador e uma grande pessoa.
Eduardo Coudet Rosario Central Libertadores (Foto: Divulgação/Rosario Central)Coudet, técnico do Rosario, não queria perder Donatti para o Flamengo (Foto: Divulgação/Rosario Central)
"Caudillo", bom de clássico e sincero
A liderança é uma característica fácil de encontrar entre as definições sobre Donatti. É discreto fora de campo, do tipo "bom de vestiário", que conquista o grupo, a torcida e tem a confiança do técnico. Coudet, do Rosario Central, não queria perder "El Flaco" - o magro, na tradução livre em português - de jeito algum, mas Donatti fez valer sua vontade. O jornalista argentino Frederico Colmán lembrou que o temperamento do novo rubro-negro é de "caudillo" (líder, em espanhol) - uma liderança que ele vai exercer também no Flamengo - e que ele não foge da raia quando erra.

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.