PARTIDOS POLÍTICOS X DIVISÃO DO BOLO

Por: José Oliva
Na primeira eleição sem financiamento de empresas no País, candidatos a Prefeito das principais cidades cobram das direções dos partidos prioridade no repasse dos recursos do Fundo Partidário para bancar suas campanhas. Concorrentes têm esbarrado nos critérios que as cúpulas das legendas começam a definir para o rateio da verba, que totalizará R$ 819 milhões neste ano. Dirigentes de pelo menos cinco partidos – PSDB, DEM, PP, PSB e PR –  afirmam que pretendem atender principalmente campanhas a Prefeito em capitais e em importantes cidades para as cúpulas. O secretário-geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP), afirmou que a legenda fez uma poupança com recursos do fundo. A prática que os partidos políticos querem implementar nestas eleições – agora com mais rigor na fiscalização – levará a uma grita geral dos candidatos de pequenos Municípios, o que pode gerar ações na Justiça Eleitoral na busca do princípio da igualdade que devem primar todos os partidos no trato com os seus candidatos. Evidentemente, candidatos de capitais e de grandes cidades carregam consigo um maior número de eleitores que podem influenciar no pleito a Governador, Senador Presidente da República que ocorrerá em 2018.