Turista reclama de atendimento que recebeu da PM

quarta-feira, agosto 03, 2016 0 Comments

Fato aconteceu em Alter do Chão. Turista ficou indignada.


Alter do Chão, em Santarém, também conhecida como Caribe brasileiro
Alter do Chão, em Santarém, também conhecida como Caribe brasileiro
“A Pérola do Tapajós é cheia de encantos mil, e tem a praia de água doce eleita a mais bonita do Brasil”. Apesar das belezas naturais, Santarém ainda peca na recepção dos turistas e visitantes que procuram desfrutar da maravilha que a região amazônica oferece.
Avanços aconteceram, especialmente pela luta e trabalho da iniciativa privada. Porém, uma cidade que se diz turística, não oferece a mínima estrutura de mobilidade, nem se quer existe a sinalização das vias e pontos que deveriam ser referências para as visitas.
Neste cenário, não há dúvidas, as relações humanas, o bom atendimento ao turista é crucial para que o setor cresça de forma sustentável.
Assim como a iniciativa privada, o setor público deve contribuir para o desenvolvimento do turismo. No entanto, não é isso que observamos. Veja o caso que chegou até a nossa equipe de redação. Uma turista reclama de uma situação que poderia facilmente ser resolvida.
“Bom dia, meu nome é Susan, sou estrangeira, mas moro há dois anos em Alter do Chão. Recentemente achei na praia, ao lado de uma dúzia de garrafas de cerveja vazias uma sacola cheia de cartões, RG, vale refeições. Devem ser de turistas de fora. Queria leva-los para a polícia de Alter do Chão. Para a minha surpresa absoluta a polícia se recusou a recebê-los ‘com o argumento que a polícia militar não faz o serviço da polícia civil’. Me foi recomendado que eu levasse a sacola pessoalmente para Santarém onde seria possível fazer B.O. etc! Não medindo as palavras, acho isso simplesmente um escândalo, especialmente por que se trata de uma cidade turística que deve prezar pra o serviço aos turistas. A solução encontrada foi deixar tudo na rádio comunitária que me confirmou que esse fato é muito comum. Gostaria que o jornal publicasse a minha queixa para abrir os olhos de todos que recebem turistas e querem servi-los de melhor maneira. Pessoalmente, sendo turista, nunca iria procurar os meus documentos perdidos na rádio, que alias faz jus ao seu nome de comunitário”.
Para as autoridades fica o alerta. Que providências possam ser tomadas, e assim, possamos garantir o bom atendimento aos turistas.
Fonte: RG15/O Impacto
Por: Edmundo Baia

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.