Comunitários acusam secretário de apoiar invasões

sexta-feira, setembro 02, 2016 0 Comments

Adriano Mota, Léo e Junior Gaúcho acusam Podalyro Neto de ser omisso para punir invasores


Adriano Mota, Léo e Junior Gaúcho acusam Podalyro Neto de ser omisso para punir invasores
Adriano Mota, Léo e Junior Gaúcho acusam Podalyro Neto de ser omisso para punir invasores
Uma história que se repete a cada vez com mais intensidade, é proporcionado pelo aumento das áreas de ocupação desordenada dentro do município de Santarém, no oeste do Pará. Talvez por conta dos muitos terrenos baldios que se encontram até mesmo no centro da cidade, esta demanda irregular acaba sendo uma crescente.
Esta semana, os integrantes da instituição América Futebol Clube, senhor Adriano Runchi, conhecido por “Junior Gaúcho” e Adriano Mota, um dos sócios proprietários do clube, estiveram em nossa redação em companhia do presidente do clube, Leonardo Francisco Bentes “Léo”. Ocasião em que comunicaram que desde a década de 60, a agremiação esportiva mantém uma área no Urumari, onde fica a sede do clube, adquirida na época pelo senhor Manoel Moraes.
Ocorre que um problema urbano ronda o local onde funciona a agremiação esportiva, na Rua Monte Castelo, s/n, no bairro do Urumari, em Santarém, e que no bairro é estimada como uma das referências, por conta do trabalho social que desenvolve, tirando jovens da marginalidade e das drogas, através da escolinha de futebol que possui e da assistência social que adota em relação às famílias do bairro.
Trata-se da invasão feita por pessoas inescrupulosas, que tem em mente não o direito de morar, mas sim de perseguir aos integrantes do clube e às famílias que moram na comunidade, uma das mais carentes. O fato agravante é que, apesar dos apelos do advogado do América Futebol Clube, Dr. Alexandre Scherer, às autoridades policiais e até ao próprio secretário de Meio Ambiente, Podalyro Neto, pouco foi feito para pelo menos diminuir a ânsia de invasão dos elementos que armados, chegam a desafiar quem encontram no caminho.
SECRETÁRIO DE MEIO AMBIENTE OMISSO: Como se não bastasse a dor de cabeça com os invasores, os dirigentes e associados do América Futebol Clube ainda tem que lidar com a omissão do secretário de Meio Ambiente, Podalyro Neto, que “precisa de provas para poder tomar providências”. Como se as fotos da devastação do terreno do clube e da área de preservação ambiental vizinha ao clube, todos desmatados, não bastassem. “Recentemente os invasores atearam fogo em um pé de castanheira, nós temos fotos, mostramos ao secretário Podalyro Neto, mas não deu em nada”, citou o secretario do clube, Adriano Runchi. ”Nós queríamos que ele fosse mais atuante, mas está deixando a desejar”, falou Léo, presidente do América Futebol Clube.
Invasores praticaram crime ambiental na área e derrubaram muro da Associação
Invasores praticaram crime ambiental na área e derrubaram muro da Associação
FATOS: Conforme relato do presidente e de integrantes do América Futebol Clube, Adriano Runchi e Adriano Mota, além do próprio Leonardo, a invasão ao imóvel do América Futebol Clube é comandada por José Domingos, conhecido por “Jamaica”, que segundo informações é pintor e mora na rua Antônio Zubi, no próprio bairro do Urumari; pelo Pastor Lirimar, conhecido por “Comando”, na verdade pedreiro e por ser um dos invasores de terras, parece que não conhece muito aos caminhos do Senhor, que prega a solidariedade e cita que invadir terras é um dos pecados mortais. Um dos fatos que causa espanto é saber que Jamaica age como se não temesse a Lei. Prova disso são os muitos Boletins de Ocorrência Policial que foram registrados na 16ª Seccional de Polícia Civil, em Santarém, mas até hoje Jamaica não foi intimado e nem sequer compareceu para prestar esclarecimentos à autoridade policial.
De acordo com o advogado do América Futebol Clube, Dr. Alexandre Scherer, no último domingo ele e os integrantes da diretoria do clube estiveram na área da agremiação esportiva, no bairro do Urumari, que foi invadida. Os elementos que indevidamente tomavam conta do terreno, além de desafiarem ao advogado e o diretor do clube, chegaram ao extremo de também intimidar usando facões e palavras de baixo calão. Diante da situação de violência, sem alternativa, o advogado achou melhor acionar uma guarnição da PM que passava pelo local. Os ânimos foram acalmados, ao menos aparentemente; aproveitando o silêncio da noite, Jamaica e seus liderados derrubaram 100 metros do muro que protege o barracão onde funciona a sede do clube. Outras vezes invadiram o terreno do clube e quebraram lâmpadas do bar, além de cortarem mangueira da bomba d`água que abastecesse ao clube e também gratuitamente a centenas de famílias que moram nesta área do Urumari.
“Esses invasores agem como se não existisse Lei, se continuarem desse jeito, vamos ter que procurar o Ministério Público”, sentenciou Leonardo Francisco Bentes, atual presidente do América Futebol Clube. O advogado Alexandre Scherer já protocolou a denúncia na Comarca de Santarém. Há informações de que os invasores estão agindo contra a lei, com o incentivo de seu advogado, mas nossa reportagem ainda está investigando essa denúncia.
O caso também está sendo levado ao conhecimento do Ministério Público, enquanto isso, Jamaica e seus comandados continuam agindo como verdadeiros vândalos, acima da Lei e desrespeitando famílias, fazendo ameaças e até desrespeitando a Polícia, como foi o caso que aconteceu no domingo passado, quando até facão foi usado pelos invasores. Ao ser questionado, o secretário Podalyro Neto diz que continua em busca de provas mais concretas, fazendo com que as invasões cresçam em Santarém.
Por: Carlos Cruz

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.