Região Metropolitana de Santarém é reconhecida como área livre de cancro cítrico

quinta-feira, março 30, 2017 0 Comments

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reconheceu, no dia 27 de março, (segunda-feira) a Região Metropolitana de Santarém (Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos) como área livre de Cancro Cítrico. O reconhecimento saiu em decorrência do processo nº 21030.001005/2017-29, alusivo à Instrução Normativa nº 37, de 5 de setembro de 2016.
Em Santarém o trabalho foi iniciado no dia 10 de fevereiro, após o conhecimento da IN 37 que passaria a vigorar no dia 5 de março, quando ficaria proibida a exportação dos produtos cítricos para fora dos municípios.
Além da região Metropolitana, a resolução nº 6, de 27 de março de 2017, também beneficia os municípios de Alenquer, Prainha e Monte Alegre. “Nossa preocupação era justamente com o impacto negativo para o comércio dos cítricos não apenas em Santarém, mas nos municípios que ficam dentro da região Metropolitana. Desde o início, contamos com o apoio da Adepará e a união nos garantiu comercializar para fora dos municípios”, enfatizou o secretário de Agricultura de Santarém, Bruno Costa.
Para a conquista do reconhecimento do Mapa, as Secretarias de Agricultura de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos realizaram reuniões para articular a ação, visitas in loco para o georreferenciamento dos produtores de cítricos nos municípios.
O cancro cítrico é uma bactéria (xanthomonas axonopodis pv. citri) que ataca todas as variedades e espécies de citros e constitui-se numa das mais graves doenças da citricultura brasileira manifestando por lesões em folhas, frutos e ramos e quando em altas severidades pode provocar a queda de frutos e folhas.
O controle da praga consiste na erradicação do material contaminado, bem como as rebrotas que surgem na área onde foi realizada a erradicação e queima das árvores e interdição temporária da área em um período de dois anos.
Não há risco para o consumo humano e nem registro da doença na região.

Fonte: RG 15/O Impacto e Martha Costa/PMS

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.