Secretário fala sobre prejuízos causados pelas chuvas à produção

segunda-feira, abril 03, 2017 0 Comments

Ainda que a chuva seja vital para a produção agrícola, o grande índice pluviométrico registrado em curto espaço de tempo têm consequências negativas, quando se verifica a questão de trafegabilidade das vicinais. Em 2017, chamado inverno amazônico, – período do ano que têm como principais características a incidência de chuvas e a subida dos níveis dos rios da região -, têm-se mostrado um dos mais intensos dos últimos anos.
Devido às precárias condições das estradas, os agricultores estão com dificuldades para escoar a produção. Visando amenizar esta situação, a Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap), realiza trabalho emergencial de recuperação da infraestrutura rural.
De acordo com Bruno Costa, titular da Semap, faz parte da ação de recuperação das vicinais, o diálogo com os comunitários, necessário para o diagnóstico da situação.
“Sobre a questão da infraestrutura rural, estamos realizando inúmeras reuniões com associações, cooperativa, sindicatos e lideranças comunitárias com objetivo de termos uma visão da situação. As reuniões estão sendo muito proveitosas, porque nós, enquanto Secretaria, recebemos todas as demandas e dificuldades dessas comunidades. Ainda sobre a infraestrutura rural, já iniciamos alguns levantamentos para estarmos verificando a situação das estradas tendo em vista o período de inverno e por sinal muito rigoroso. Mas que nós estamos conseguindo com nossa equipe fazer todo levantamento para tentar dar um paliativo para fornecer trafegabilidade. Também estamos recebendo algumas demandas de situações precárias de estradas que estão sem trafegabilidade nenhuma, e estamos tentando resolver da melhor forma possível, indo ao local, tentando fazer um paliativo para que no próximo verão nós possamos fazer um trabalho de qualidade, mais extensivo, para tentarmos chegar a todas as nossas comunidades no interior”, informou Bruno Costa.
MICROSISTEMAS: Outra preocupação dos comunitários é em relação ao abastecimento de água. A demanda para a reforma e construção de microssistemas tem chegado com frequência à Semap.
“Também estarmos averiguando as questões hídricas nas comunidades, como os microssistemas, que através do nosso setor especifico, estamos fazendo as visitas e medições, e assim que nós estivermos com recursos disponíveis, executaremos esses projetos”, explica Bruno, acrescentando que a organização interna da Secretaria proporcionará a melhoria dos trabalhos. “Um ponto muito importante que a Secretaria quer executar é a questão técnica onde estamos reforçando esse setor através da Coordenação de Incentivo à Produção Familiar (CPROF), a fim de desenvolvermos algumas atividades técnicas que são pertinentes, podendo alavancar a agricultura em nossa região. Estando junto à CPROF, direcionaremos idéias de muitos projetos para implementar, e assim podermos chegar até as comunidades mais distantes, executando trabalhos  que de fato possam fazer com que Santarém se torne um polo produtor de todas as culturas. Trabalhamos para direcionar também para outras atividades, como a própria pecuária do nosso pequeno e grande produtor com atividades que nunca tivemos, mas que há possibilidades de executarmos. Hoje é uma grande preocupação vermos que Santarém não possui um banco de dados de nossas culturas. Sabemos que é de suma importância termos subsídios para os investidores, e assim eles possam ter um quantitativo de produção de áreas plantadas. Em reuniões constantes com o técnico, temos cobrado muito, para que possamos ter um cronograma para chegar a todo lugar, tendo um levantamento pautado, para ai sim termos futuros investimentos”.
PESCADO: Bruno Costa acredita que em poucos meses será possível o funcionamento do Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar), uma demanda antiga dos pescadores da região. O local foi inaugurado no ano passado, mas ainda não está em pleno funcionamento. O Cipar é composto por dois blocos. Um administrativo e outro operacional. O administrativo é composto por refeitório, sala de aula, auditório e telecentro. Componentes que ajudarão na capacitação do pescador. O bloco operacional é composto por fábrica de gelo, com capacidade de produção para 14 toneladas, área de classificação do pescado, uma câmara fria, com capacidade para 20 toneladas de armazenamento, uma câmara de espera, com capacidade para duas toneladas de pescado, e uma área de higienização.
“Nós estamos em processo de regularização do Cipar junto a Polícia Federal, uma vez que para o funcionamento da área refrigerada é necessária a aquisição de amônia. Nós precisamos do transporte e da autorização da Polícia Federal, nós já demos entrada no processo a fim de viabilizar e a partir daí a regularização e o pleno funcionamento do Cipar que será muito importante para a Colônia de Pescadores e para a comunidade como um todo, no que tange esta questão do pescado em Santarém que irá alavancar de forma significativa com o funcionamento do Cipar”, diz o Secretário.
Conforme aponta Bruno Costa, a Semap tem um planejamento bastante amplo, e sua linha de ação não se restringe apenas a área rural do Município, e cita como exemplo, o importante trabalho de arborização.
“A Secretaria tem várias frentes de trabalho, tanto na área urbana como na rural. Na linha de frente da área urbana, temos a questão de mercados, onde ações referentes ao TAC que está em andamento na regularização de alguns boxes dos permissionados. Podemos também citar a questão da arborização, que desde outubro do ano passado não era realizada, e que, após reforço da equipe e implementação de outras atividades, estamos conseguindo atender as demandas que são muitas, principalmente no período de inverno. Podemos ver um crescimento muito grande na arborização da cidade, mas estamos fazendo um planejamento em trabalho conjunto com a Seminfra para resolvermos essa situação, como também podas, roçagens e retiradas de entulhos”, expõem.
Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto/Blog do Colares

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.