Após terceirização, senadores rompem com Temer

segunda-feira, abril 03, 2017 0 Comments

 

Calheiros, líder do partido no Senado, criticou a sanção da lei que libera a terceirização irrestrita e a reforma da Previdência, uma das prioridades do governo, dizendo que ela “pune trabalhadores”, e chamando o governo de “errático”.
Na quinta-feira (30), o senador já tinha publicado vídeo em redes sociais criticando a terceirização, entre outras medidas.
As críticas do senador ao governo, inclusive em redes sociais, levaram Temer a um rompimento político com Calheiros, segundo nota do Painel, da “Folha de S.Paulo”, publicada no sábado (1).
TERCEIRIZAÇÃO POLÊMICA
O presidente Michel Temer (PMDB) sancionou na última sexta-feira (31) o projeto de lei que regulariza a terceirização em qualquer atividade de uma empresa. Antes, não existia lei sobre a questão, mas o entendimento da Justiça era que apenas atividades-meio, aquelas não ligadas ao negócio principal da empresa, poderiam ser terceirizadas.
Os deputados basearam-se em um projeto lançado no final da década de 90, no governo de Fernando Henrique Cardoso. O projeto foi arquivado a pedido de Lula, no início de seu governo, em 2003.
Antes da sanção, na terça-feira (28), Renan Calheiros e outros oito senadores do PMDB tinham assinado nota pedindo que Temer não sancionasse o projeto.
Na quinta-feira (30), Calheiros voltou a entrar em confronto direto com o Palácio do Planalto, afirmando que há “insatisfação” na bancada do PMDB no Senado.
“Eu não quero participar do governo, não quero indicar ninguém no governo, e hoje, como líder da bancada, diante dessa insatisfação que é generalizada, mais do que nunca”, disse.

(Com informações de UOL)

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.