Porto de Santana do Tapará – O retrato do descaso e do abandono

sexta-feira, agosto 04, 2017 0 Comments

Estrutura do Porto que deveria abrigar os passageiros está em condições precárias, sem banheiro e cadeiras

“É um grande contraste e uma incoerência tamanha a gente percorrer uma rodovia de 1º mundo, e ao chegar na Costa do Tapará, encontrar essa cena bizarra”, declarou à nossa reportagem Mônica Santos, dona de casa, que reside na capital do Amazonas, e aproveitou o período de férias para visitar parentes no município de Monte Alegre.
Sem dúvida, a pavimentação da PA – 255 foi um grande avanço para a região da Calha Norte, que há décadas sofria com o abandono e descaso do Governo Estadual. Porém, os usuários que percorrem a rodovia, em idas e vindas para Santarém, em especial os passageiros de ônibus, queixam-se da precariedade do local que deveria funcionar para receber e abrigar a população que aguarda a chegada da balsa responsável pela travessia entre a Costa do Tapará e Santarém.
A população que utiliza a via, infelizmente encontra naquela, que seria a Estação de Passageiros, apenas um abrigo para o sol e chuva. O local que deveria disponibilizar conforto, não tem sequer cadeiras e banheiro decentes.
A triste realidade é que, com a pavimentação da PA, aumentou exponencialmente a frequência de passageiros, que precisam de um lugar adequado.
“Sabemos que existe um projeto para construção de um porto. Acontece que não existe prazo para que isso seja construído. Enquanto a obra não sai do papel, o poder público, a prefeitura de Santarém, deveria buscar amenizar essa situação, fazendo a concessão para que o local seja utilizado de forma adequada”, diz o vendedor autônomo João Assis.
Outra questão levantada pela população são os preços cobrados nos comércios. “Os preços de comida, bebidas e demais mercadorias são estratosféricos, fora da realidade”, expõe Assis.
INSEGURANÇA: A população que com frequência realiza a travessia ressalta ainda a questão da violência. Pela parte da noite e aos fins de semana, o prédio abandonado da estação de passageiros, torna-se abrigo para bêbados e marginais.
Também existe a preocupação com a insegurança na navegação, ocasionada pelos frequentes deslocamentos de bajaras e lanchas em meio ao fluxo da balsa que transporta os passageiros entre Santarém e Costa do Tapará.
“Ano passado, em uma bajara, tinha uma criança, uma mulher e um homem que era o piloto, quase a balsa passa por cima deles, o comandante deu três buzinadas pra poder ele despertar e desviar da balsa, imprudência deles”, revelou um morador à nossa reportagem.
Os próprios moradores das comunidades que ficam no entorno do porto na Costa do Tapará denunciam a falta de responsabilidade de alguns pilotos de Bajara.
NOVO PORTO: Um anúncio realizado pelo Governo Estadual renovou a esperança da população. A construção de um Porto moderno é a promessa de melhoria para os usuários. Com o objetivo de fazer o projeto avançar, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, determinou a cessão gratuita de uma área pertencente ao Município, em de Santana do Tapará, para que a Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) faça a obra. O terreno tem 9.483,31 m² de área.
ENCONTRO DISCUTE NAVEGAÇÃO SUSTENTÁVEL: Aconteceu, na quinta-feira (27), em Santarém, a abertura do 1º Encontro da Navegação Sustentável na Amazônia. O evento foi organizado pela ANTAQ, em parceria com a Companhia Docas do Pará, a Prefeitura e a Fundação Esperança, além disso, faz parte a primeira ação do “Projeto de Coleta Seletiva nas Embarcações de Passageiros da Navegação Interior na Região Amazônica”.
Durante a abertura, foi lançada a campanha “Rio Limpo, Amazônia Viva”. Foi assinada, ainda, a Carta de Santarém pelo diretor-geral da ANTAQ, Adalberto Tokarski, e pelo prefeito Nélio Aguiar.
Para Tokarski, a ANTAQ sempre vem trabalhando para a sustentabilidade da Região Amazônica. “Precisamos conscientizar o usuário. Precisamos ter os coletores adequados e a reciclagem, transformando o resíduo em valor. A conscientização tem de ser de todos, e a ANTAQ é mais uma parceira.
“A intenção da ANTAQ é contribuir para a conscientização da população, é dar o exemplo. É fundamental que os resíduos sejam descartados adequadamente, impedindo a propagação de doenças e mau cheiro, além desse lixo ser matéria para reciclagem. Essa melhoria no descarte de resíduos vem com ações práticas e rotineiras como essa que a Agência está realizando em Santarém”, destacou o diretor-geral da ANTAQ, Adalberto Tokarski, destacando que a Agência é apenas uma peça nesse contexto.
O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, destacou o evento. Afirmou que a iniciativa da ANTAQ contribuirá com a educação ambiental do município. “Precisamos conscientizar o cidadão para que descarte seu resíduo no lugar adequado. A consciência ambiental é um desafio. Nós utilizamos ainda muitos produtos descartáveis. Devemos reduzir essa utilização. A conscientização ambiental deve acontecer desde criança. Esse projeto tem de ser abraçado pela sociedade e a sociedade já tem maturidade para preservar nossos rios. Agradecemos à ANTAQ por iniciar essa ação com a nossa cidade”, disse.
Para Vicente Ferreira Sales, administrador do porto de Santarém, é fundamental que essa ação alcance toda a Região Amazônica. “Devemos acabar com a contaminação dos nossos rios. Espero que esse projeto seja um primeiro passo para manter os nossos rios limpos.”
O diretor do Instituto Esperança, Juarez Souza, afirmou que a instituição sempre será parceira de ações que visem desenvolver a Região Amazônica. “Uma de nossas funções é apoiar projetos que possam contribuir para a sustentabilidade de nossa região.”
Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.