MENOR APRENDIZ


Fui procurado por um menor aprendiz que trabalha em uma empresa de Santarém e estava triste e chateado porque estava acabando seu contrato com a empresa. Ele disse: “passei por vários treinamentos, desenvolvo na empresa em que trabalho, porém, vou sair da empresa porque acabou meu contrato e vou ficar desempregado porque ainda sou menor de idade”.
“Não adiantou nada ter realizado vários cursos, investir meus conhecimentos na empresa, gosto do que faço, agora vou ficar desempregado e viver de quê? Se eu ajudo minha família. Querem que eu seja ladrão, marginal, ou fazer coisas erradas para manter minha família? Estou triste, é a nossa lei que transforma o menor aprendiz em possível marginal”.