Capacitação na arte da cerâmica tapajônica resultará na produção de mini réplicas

Com a proposta de fomentar e divulgar a produção da arte da cerâmica tapajônica, desde a retirada das impurezas da matéria-prima, a argila (barro), a moldagem de réplicas em miniaturas, a técnica da queimação, pintura de peças e exposição, a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) e parceria com artesãos ceramistas, promove uma capacitação que iniciou na tarde desta segunda-feira (23). O público-alvo são artesãos e demais com prévio conhecimento.
“Na responsabilidade de atender diferentes segmentos culturais, a direção do Centro Cultural João Fona foi procurada ao apoio a instrução desta arte dos nossos antepassados, os indígenas da etnia Tapajó, e atualmente reproduzidas pelos nossos artesãos ceramistas, entre o Elves Costa e Jefferson Paiva, neto do falecido ceramista Mestre Izauro, com legado conhecido no Brasil e no exterior. E ainda, de artistas da comunidade de Payssandú, região do Lago Grande, como a artesão de 75 anos de idade, a artesã Gertrudes dos Santos, uma verdadeira troca de experiências”, explicou o secretário municipal de Cultura, Luís Alberto Figueira.
“A parceria é importantíssima com o governo municipal para cultura da produção cerâmica, que prontamente nos atendeu, e esse momento vai oportunizar melhorarias aos nossos conhecimentos, pincipalmente por partilharmos experiências. A princípio foi unir os artesãos e iniciantes. E esse trabalho é realizado em etapas, registrei as peças de cerâmica no Centro Cultural, depois com o grupo, a limpeza do matéria-prima, a argila, o conhecido barro, a retirada das impurezas, resíduos de folhagens, pedrinhas, e tornar a cor homogênea, porque conforme a região da retirada, encontramos pigmentações de cores variadas, a exemplo deste, retirado da região de várzea, comunidade do Tapará”. Depois, a moldagem de réplicas em miniaturas, a técnica da queimação, pintura de peças e exposição detalhou, o ceramista Elves Costa.
Para o neto do falecido ceramista, Mestre Izauro, é necessária a iniciativa “Para melhorar o trabalho do artesão deste segmento, expandir o conhecimento futuro da arte que abrange produções decorativas e utilitários. Estamos aqui com a representação da artesã do Payssandú. Destaca-se pela arte dos utilitários como panelas e travessas. E fico feliz por contribuir com a experiência dos decorativos, conhecimento que vem desde os 7 anos de idade, orientado pelo meu avó, o Izauro”, disse o ceramista Jefferson Paiva.
O artesão Izauro Farias de Sousa, mestre Izauro, como era conhecido, foi um dos renomados artesãos de nossa região. Faleceu aos 91 anos de idade, no dia 26 de dezembro de 2015. “O legado, as peças de cerâmica são conhecidas nacional e internacionalmente. Uma das peças foi para o Vaticano (Roma), presente ao Papa, já falecido, João Paulo II”, lembrou, Paiva.
A capacitação prossegue até segunda-feira (29), a exposição com 15 peças em miniatura, prevista para o dia 7 de fevereiro.
Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/PMS