ÇAIRÉ/2018.


-No período de 20 a 24 de setembro, os holofotes estarão voltados para o caribe brasileiro, a Vila Balneária de Alter do Chão em Santarém, com a realização da Festa do Çairé e o Festival dos Botos 2018. A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Semtur). dará início a uma série sobre o Çairé 2018 para disseminar informações aos visitantes e turistas, com curiosidades sobre essa grande manifestação religiosa e cultural do povo Borari. O Coordenador Cultural da Festa do Çairé deste ano, Osmar Vieira, informou que a motivação do Evento em 2018 é o resgate de elementos do rito religioso que foram se perdendo ao longo dos tempos e que serão reincorporados na programação deste ano. “Este ano, a nossa missão é buscar ainda mais a essência do Çairé e vamos fazer um resgate de importantes elementos da nossa tradição que já não eram mais realizados”, destacou.

-Dentre os momentos de resgate que serão incorporados na programação do Çairé 2018 será a “busca nas casas”, que acontecerá nas primeiras horas da manhã da quinta-feira (20/09), onde o Juiz, a Juíza, a Sairaipora, o Procurador e a Procuradeira sairão de casa em casa para chamar as pessoas, para uma procissão, que será acompanhada com toque de caixa, para o local de abertura do Evento, este momento foi realizado até meados de 1999. De acordo com o Coordenador, serão montadas duas casas ao lado do Barracão do Çairé, uma para o Juiz e outra para a Juíza, que ficarão durante toda a festa para recepcionar os visitantes e turistas. Outro elemento que será resgatado será o talco na cabeça do Juiz e da Juíza, no dia da “levantação” do mastro e no dia da “derrubação”. Esse momento será para demonstrar o poder que os Juízes têm na Festa do Çairé, que estão iluminados pelo Espírito Santo.

-Uma das preocupações a partir deste ano será a de direcionar a pombinha do Espírito Santo para o rio. Essa simbologia representa a vida, pois para o povo Borari a água é sinal de vida em abundância e a tradição e o rito pedem que seja assim. Serão resgatadas, também, as figuras da “Moça do Tamborim” e o “Sargento”, personagens que faziam parte da Corte. A coordenação pretende resgatar, ainda, a Coroa do Divino Espírito Santo em ouro ou prata, como manda a tradição