Delegado Nelson: “Polícia não se intimidará com ameaças”

Superintendente da Polícia Civil ressalta o trabalho integrado da Segurança Pública
O delegado Nelson Silva, titular da Superintendência do Baixo Amazonas, informou à nossa reportagem, que a atuação das forças de segurança pública na região, estão cada vez mais trazendo resultados positivos em relação aos índices de criminalidade. Para ele, esse é um fato a ser comemorado, uma vez que ao se acompanhar notícias de outras regiões do estado, e do país, se vê o exponencial aumento da onda violência.
Quando assumiu o cargo de superintende, Silva apontou como prioridade do seu plano de trabalho, o combate ao tráfico de drogas. Na semana passada, a “Operação Reação”, tirou de circulação grupo criminoso do tráfico de entorpecente, que chegou a ameaçar policiais em serviço. “A retaliação ao serviço policial não será aceita”, afirma Nelson, acrescentando:
“Quando os nossos policiais, tanto Civis quanto Militares começaram a trabalhar cada vez mais investigando o tráfico de drogas, começaram também a receber ameaças. Os nossos policiais da chefia de operações e do reservado da PM, aquele meliante estava cada vez mais a par de informações dos nossos policiais, querendo intimidá-los e isso gerou toda essa operação, porque o tráfico de drogas é muito grande, e está por trás de todos os outros crimes. Então, havia a necessidade de darmos uma resposta em relação a esses fatos e alguns desses indivíduos que estavam por trás das ameaças, foram mortos inclusive em combates promovidos entre eles mesmo e outros com a Polícia. Mas ainda tinha um restante.  Então, conversamos com o Coronel Tomaso para fazermos uma grande operação, nós combinamos, Polícia Civil através da Superintendência e do Coronel Tomaso, nessa operação que resultou nesses mandados de prisão e de busca e apreensão, definidos pela Justiça. A Polícia não pode simplesmente entrar nas residências. Temos que ter autorização judicial, e nós conseguimos isso e então foi desencadeada essa grande operação policial. As investigações prosseguem com as informações que nós pegamos, os celulares apreendidos de cada traficante, de cada alvo, esses celulares serão agora periciados, nós vamos pedir autorizações da Justiça, vamos periciar todos os celulares e aí sim, será um leque de informações que iremos ter para que possamos agir novamente, fazer uma nova operação com mais prisões com certeza”.
Segundo o delegado, as investigações que resultaram na operação, tiveram início há um ano, e dentro deste período, foram identificados os integrantes de facções.
“Essa operação teve origem a aproximadamente um ano atrás, quando alguns policiais civis e militares estava recebendo ameaças aqui em Santarém de facções criminosas. Isso gerou um inquérito policial, foi instalada uma interceptação telefônica, através disso nós conseguimos mais investigações, os pontos de drogas, quem estava liderando essas facções. Cumprimos os mandados de busca e apreensão e de prisões, sendo que uma das prisões era do Rafael Cadáver, o mesmo já se encontra preso e cumprimos mais três prisões preventivas, inclusive os pais do Rafael Cadáver, o pai, a mãe e mais outro indivíduo, tem participação ativa no tráfico de drogas aqui em Santarém. Foi uma operação conjunta, uma resposta, até porque o nome da operação é ‘Reação’, uma reação as ameaças que a Polícia estava recebendo Os acusados foram apresentados na Seccional. Muitos deles são conhecidos, a Polícia Civil já investigava por tráfico de drogas, mas o “Tito’, por exemplo, foi preso várias vezes e com certeza é uma das pessoas que comanda o tráfico de drogas. A casa dele é de difícil acesso, tem câmeras, é muito difícil chegar na sua residência, mas devido as investigações e por tudo que tinha no inquérito policial, o delegado solicitou sua prisão preventiva e a sua prisão foi deferida. São todas interligadas nos crimes, em facções, no tráfico de drogas em Santarém e com certeza nós vamos continuar nossas investigações, pois nós sabemos que muitas outras pessoas estão envolvidas no tráfico de drogas, principalmente trabalhando para facções. Então, isso é o começo de uma resposta que as polícias Civil e Militar estão dando com relações as ameaças que estamos sofrendo. Todos os colegas que estavam trabalhando e investigando o tráfico de drogas, estavam sendo ameaçados, por isso mesmo o nome da operação era ‘Reação’. Nós tínhamos um alvo, encontramos, salve engano, umas 90 petecas, nos outros dois alvos, foram poucas quantidades, mas investigamos e levantamos inclusive o movimento das bocas, era constante, entrando e saindo pessoas. Fomos a campo sabendo realmente que ali tinha drogas, por mais que o traficante esconda drogas, tente enganar a Polícia, mesmo assim a Polícia chega no momento e ainda consegue fazer a  apreensão de certa quantidade e por essa quantidade ele vai ser com certeza punido pela justiça. Acredito que o Rafael Cadáver lidera grande parte do tráfico de drogas aqui em Santarém, mesmo preso, tanto é que os seus pais estão presos preventivamente, dominavam o tráfico aqui, eles trabalhavam com a facção e nas interceptações telefônicas ficou claro que eles dominavam. Tivemos aí a participação de uns vinte policiais militares, cinquenta policiais civis. E escalei para vir para cá quinze delegados, então, cada alvo, estava com um delegado e sua equipe completa. Foi muito importante, foi um trabalho grande da Polícia, inclusive nós trouxemos delegados do interior, de Prainha, Belterra e Mojui dos Campos que vieram para cá, juntamente com seus policiais para dar suporte e apoio a nossa operação e pretendemos com certeza fazer outras operações em combate ao tráfico de drogas, porque nós percebemos que as facções estão cada vez mais se organizando e se o Estado não der uma resposta, aí sim, o crime vai aumentar cada vez mais.”, disse o delegado.
RESULTADOS: A Polícia Civil divulgou os resultados da operação Reação deflagrada, na sexta-feira (3), por policiais civis e militares. Ao todo, sete pessoas foram presas na operação, das quais três por mandados de prisão preventiva decretados pela Justiça e outras quatro em flagrante, todos por crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Segundo o delegado Nelson Nascimento, titular da Superintendência Regional do Baixo Amazonas, o foco da operação foi o enfrentamento às atividades do tráfico ilícito de drogas em Santarém, com atuação em oito locais da cidade, onde existiam intensa atividade de preparação, distribuição e comercialização de entorpecentes.
As investigações mostraram que as pessoas envolvidas nos crimes fazem parte de uma associação criminosa que tentava, inclusive intimidar as ações policiais de combate ao tráfico por meio de ameaças à vida de integrantes das Policias Civil e Militar. A operação contou com participação de 50 policiais civis em conjunto com policiais militares, que atuaram de forma integrada no enfrentamento à associação criminosa. A coordenação foi da Superintendência Regional da Polícia Civil de Santarém, e do coronel PM HeldsonTomaso, comandante do Policiamento Regional.
Dentre os presos está o casal Pedro Evandro Almeida Pereira, de apelido Tubira, e Ana Célia Collares do Carmo, que tiveram mandados de prisão preventiva cumpridos na operação. No momento em que foram presos, em uma casa, na rua Buruti, bairro do Uruará, em Santarém, os dois foram flagrados na prática de tráfico e associação ao tráfico de entorpecentes. Os presos são pais de Rafael do Carmo Pereira, conhecido como “KDV”, traficante preso em Santarém.
Outros dois presos são Rosilda Lima Santa e Marlisson dos Santos Abreu. Os dois foram presos em flagrante no momento em que os policiais faziam revistas na casa dos acusados durante cumprimento de mandado de busca e apreensão. Na casa de Rosilda, situada na Rua Alvorada, bairro do Diamantino, os policiais apreenderam drogas do tipo pasta base de cocaína. Outro preso é Leonilson Costa de Sousa que tem mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça por tráfico de drogas. Foi preso em flagrante também Erikles Santana Pantoja, 22 anos, com quem os policiais apreenderam 98 petecas de pasta base de cocaína e uma arma de fogo.
POLÍCIA CIVIL CAPTURA EM SANTARÉM, FORAGIDO DA JUSTIÇA DO AMAZONAS: Os policiais da 16ª Seccional de Polícia Civil, sob coordenação do delegado Germano do Vale, em apoio a Chefia de Operações, conseguiram lograr êxito na captura de foragido do estado do Amazonas. Na tarde de quinta-feira (2), foi dado cumprimento a Mandado de Prisão Preventiva em desfavor de Alzivaldo da Silva dos Santos, condenado pelo crime de homicídio, que aconteceu em 2009, na cidade Manaus.
Mais uma vez, o intercâmbio entre as policiais civis de Santarém e do estado vizinho, teve como resultado a retirada do meio da sociedade de alguém que deveria estar pagando pelo crime cometido.  Foram vários dias monitorando o foragido. De acordo com o delegado Germano do Vale, o preso recapturado ficará à disposição da Justiça do Pará e será posteriormente comunicada sua prisão a segunda Vara do Tribunal do Júri do Amazonas.
182 DETENTOS DE CUCURUNÃ SÃO LIBERADOS PARA O DIA DOS PAIS: A Diretoria de Execução Criminal da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado – Susipe divulgou nesta quarta-feira, o balanço parcial da saída temporária do Dia dos Pais, benefício concedido pela Justiça aos presos que cumprem regime semiaberto nas unidades penais de todo o país.
No balanço parcial, 1.584 presos, dos mais de 16.500 detentos custodiados pela Susipe, receberam o benefício que começou na última segunda-feira. Do total geral de presos beneficiados com a saída,
A saída temporária tem duração de sete dias. As saídas foram autorizadas desde o dia 06 e os presos devem retornar as unidades prisionais no dia 13 de agosto, após o domingo do Dia dos Pais.
Santarém foi o munícipio que teve o maior número de detentos beneficiados com um total de 182 presos liberados, sendo que 163 homens custodiados no Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura e 19 mulheres do Centro de Recuperação Feminino.
A saída temporária é um benefício concedido pela Justiça, previsto na Lei de Execuções Penais, a presos que cumprem pena no regime semiaberto, apresentam bom comportamento e que já tenham cumprido um sexto da pena (para réus primários) ou dois quintos (para reincidentes). Ao final do prazo determinado pela Justiça, o detento deve retornar até a unidade prisional a qual está custodiado. Caso não volte passa a ser considerado foragido da Justiça e quando recapturado pode regredir para o regime fechado.
EM SANTARÉM, CRIANÇA DE 6 ANOS MORRE APÓS SER ATINGIDA POR CAMINHONETE: Na tarde de segunda-feira(6), um acontecimento daqueles que procuramos explicações, mas não conseguimos. Diante da dor dos familiares e amigos, a tragédia que tirou a vida de Ana Clara Rebelo, de seis anos, ocorreu na rua Irurá, entre as travessas Agripina de Matos e Luis Barbosa, no bairro Caranazal.
Segundo informações, a criança morava com a avó. Sua tia chegou na caminhonete Hilux, deixou o veículo ligado, desceu e entrou na residência pois iria apenas deixar uma encomenda para mãe. Neste intervalo, a criança entrou na caminhonete para brincar, momento que desengatou o freio de mão. Desesperada pelo veículo começar a descer a rua, Ana Clara pulou, mais ficou presa no meio fio, onde foi atingida.
Inconsciente, ela foi socorrida pela equipe do Samu, chegou a dar entrada no PSM, conforme nota da unidade hospitalar:
“A criança chegou ao HMS desacordada. O estado dela era gravíssimo. A equipe médica do setor de reanimação realizou todos os procedimentos possíveis. Ela teve um trauma de tórax. Infelizmente a criança não resistiu e morreu”.
De acordo com informações, Ana Clara completou 6 anos no domingo. Infelizmente perdeu a vida nesta triste tragédia.
Por Edmundo Baía Júnior
Fonte: RG 15/O Impacto