Bosque da Vera Paz vira ponto de venda de drogas

quinta-feira, março 24, 2016 0 Comments

Denúncia foi feita pelo comunitário Jurandir Azevedo


Jurandir Azevedo, líder comunitário, denuncia que traficantes estão afastando moradores do Bosque
Jurandir Azevedo, líder comunitário, denuncia que traficantes estão afastando moradores do Bosque
Revoltados com o descaso da segurança pública por parte do governador Simão Jatene (PSDB), moradores do bairro do Laguinho, em Santarém, denunciam a venda e consumo de drogas, no Bosque da Vera Paz, na orla de Santarém. Todos os dias, segundo os moradores, grupos de traficantes e consumidores se reúnem em pleno local público, na frente de Santarém, para usar e vender drogas, o que está espantando as famílias do local.
Roubos e assaltos, de acordo com o morador Jurandir Azevedo, estão acontecendo com freqüência tanto no Bosque quanto nas ruas que ficam próximas ao local de lazer, por conta do abandono do Estado.
“Estamos com problema de segurança. Eu não sei se em todos os cantos da cidade está existindo isso. De uns dias pra cá aumentou muito a questão da venda de drogas no Bosque da Vera Paz. A gente vê jovens e até estudantes de várias faixas etárias já se envolvendo com isso aí. Nós pedimos que as autoridades aproximem a segurança pública no bairro do Laguinho, principalmente na área do Bosque, que é o ponto principal”, aponta Jurandir.
Além de consumidores assíduos, segundo Jurandir Azevedo, estudantes também estão entrando na ‘onda’ das drogas, o que gera preocupação das famílias do bairro do Laguinho. “No Bosque é visível a questão do tráfico de drogas. Tem a venda e o consumo. Muitos jovens estão entrando e se perdendo no vício. As famílias praticamente já não estão mais podendo passear na área. Estamos pedindo ajuda do poder público pra melhorar a infraestrutura e a segurança no local”, disse Jurandir.
ASSEMBLÉIA: Na noite do último sábado, 19, foi realizada no salão paroquial da Igreja de Santo Antonio, uma assembléia para deliberar sobre as eleições do bairro que vão acontecer no primeiro semestre deste ano.
“Tivemos a assembléia realizada sábado com aproximadamente 50 associados e mais convidados e, conseguimos a porcentagem que queríamos para aprovar a comissão eleitoral. Agora, toda a diretoria está extinta, para que a equipe do processo eleitoral possa cuidar e comandar as atividades da associação. Nós apenas vamos dar informações e colaborar com aquilo que pudermos”, informou Jurandir Azevedo.
Ele acrescentou que durante a assembléia foi aprovada a nova mensalidade da associação de moradores, que passou de R$ 2 para R$ 4. “Era R$ 2 por família desde sua fundação e, agora aumentou para R$ 4 mensais. Fizemos a prestação de contas, tanto a financeira quanto a social. A partir de agora estou afastado, mas a gente vai conversar com os moradores, para formarmos uma chapa que seja de acordo com os comunitários e, que as pessoas que vão compor a chapa, sejam responsáveis também por seus trabalhos”, ressaltou Jurandir.
ABANDONO: Inaugurado em junho de 2012, o Bosque da Vera Paz, obra de autoria da ex-prefeita Maria do Carmo Martins Lima (PT), se encontra abandonado pelo Poder Público. O espaço foi criado para fomentar a atividade turística de Santarém, porém, quatro anos depois de inaugurado, o local está tomado por sujeira, lixo e mato, tornando o ambiente impróprio para o uso da população.
Neste período de cheia, segundo os moradores do Laguinho, a Prefeitura não se preocupou em limpar a área e o matagal está tomando conta de todo o lugar. Quem caminha no local diz que à noite, a escuridão causa um clima de insegurança e, que não existe vigia no Bosque, usado também para práticas ilícitas de marginais e viciados. É raro ver um turista usufruindo daquele espaço público. O atual governo, de acordo com populares, age de maneira negligente no zelo com o Bosque da Vera Paz.
No período de chuvas intensas, o local fica praticamente debaixo d’água já que não houve cuidado dos engenheiros responsáveis pelo empreendimento durante a execução da obra com a questão da enchente. Como grande parte da estrutura do bosque ficará submersa durante esse período a obra tende a sofrer sérias avarias por causa da água.
Quem passa pelo local nota que aquele ambiente está ainda longe de ser um atrativo turístico.
Por: Manoel Cardoso

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.