Osmando: “Von inaugura obras do governo de Maria”

sexta-feira, julho 15, 2016 0 Comments

Advogado diz que Alexandre Von não é nada sem Lira Maia


Advogado e ex-Secretário diz que Alexandre Von não é nada sem Lira Maia
Advogado e ex-Secretário diz que Alexandre Von não é nada sem Lira Maia
Seguindo a máxima: “Os lobos perdem as garras, mas continuam permanentemente em guarda para a caçada”, o advogado e ex-secretário Osmando Figueiredo fez declarações firmes e revelou bastidores da política regional e seu possível retorno, de uma maneira independente. Em entrevista ao jornal O Impacto, ele afirmou que, “Lira Maia foi o criador do atual prefeito Alexandre Von. Tudo o que Von conseguiu na vida política foi através do deputado federal Lira Maia”. Por essas e outras afirmações, onde elogiou a escolha de José Maria Tapajós como vice de Nélio Aguiar, mostrou que, mesmo afastado da roda viva política partidária, continua sendo observador dos mais atentos do cenário que se delineia preparando candidatos para as eleições 2016. Confira a entrevista na íntegra:
Jornal O Impacto: Como o senhor analisa a gestão do atual prefeito Alexandre Von?
Osmando Figueiredo: O Alexandre cumpriu tabela. Fez uma gestão de controle de governo, amarrando a gestão para si, no controle absoluto. Ele administrou os convênios de recursos deixados pela ex-prefeita Maria do Carmo. Não fez nenhuma novidade, não avançou no sentido de inovar, não teve nenhum projeto novo.
Jornal O Impacto: Como o senhor vê a situação dos secretários do governo Von?
Osmando Figueiredo: Eles tentaram fazer uma gestão com o que já estava projetado e planejado. Por exemplo, estão asfaltando a rua da Prefeitura e da Câmara, Anysio Chaves, que é um projeto do ex-prefeito Lira Maia, ainda na época em que eu fui Secretário de Infra-estrutura. Um projeto que eu apresentei à época no Ministério das Cidades, um departamento do Ministério dos Transportes. Tinha quadras, restaurantes. Quem cadastrou esse projeto foi eu e o Lira Maia. Depois a Maria do Carmo tentou, e que seria a grande obra do governo dela, que serviria para ‘abafar’ a Orla do Lira Maia. Agora, Alexandre conseguiu parte dos recursos, através de empréstimo que o Lira Maia tentou quando Prefeito, junto à Caixa Econômica, sendo que Maria do Carmo cadastrou e saiu uma parte, e agora Alexandre está fazendo. É a grande obra dele, qual outra novidade que esse governo tem?
Jornal O Impacto: Qual seria a grande dificuldade que o Prefeito encontra para administrar a cidade?
Osmando Figueiredo: A grande dificuldade em Santarém é que o prefeito Alexandre Von não faz captação de recursos dos programas do governo Federal. Eu lembro que tinha inscrito no Ministério da Saúde um recurso considerável para o município de Santarém para construção do Hospital Infantil, o Prefeito não se habilitava para ir à bancada federal e fazer uma articulação política para esse recurso chegar. O atual Prefeito tem certa reserva em procurar os parlamentares para trazer esses recursos. Então, com essa reserva, ele prejudica o Município. Ele não tem sido habilidoso como foram Lira Maia e Maria do Carmo na captação de recursos junto ao governo Federal, que é o grande financiador do município de Santarém.
Jornal O Impacto: Por qual razão o nome de Osmando Figueiredo não surgiu na disputa para prefeitura de Santarém nestas eleições 2016?
Osmando Figueiredo: Porque acredito que esse não seja o momento. Eu já prestei vários serviços ao município de Santarém, estou tratando agora de minha vida pessoal. Eu fui intensivamente gestor público, político e advogado. Hoje estou me dedicando totalmente à advocacia, é um dom que acredito Deus me deu, quero estabilizar meu escritório de advocacia porque é disso que estou vivendo. E após ter estabilizado, vou retornar para a vida pública de uma forma que não dependa de política. Quero depender da minha profissão e possa fazer vôos totalmente independentes. Colocar em prática o que penso, o que eu acho e também manter minha posição política que sempre adotei, mas às vezes teve que ser sufocada pelas necessidades partidárias. Ainda estou passando por este estágio sabático, de depuração na política. No meu retorno quero estar suficientemente amadurecido e não participar mais de entendimentos, nem de conchavos com políticos e partidos, que acredito não são de interesse do povo.
Jornal O Impacto: Como o senhor analisa os nomes indicados para ser vice de Alexandre Von?
Osmando Figueiredo: O vereador Reginaldo Campos tem uma base política boa, através dos evangélicos, a vereadora Marcela Tolentino também tem seu nome postado como razoável. Mas o melhor vice neste quadro eleitoral é o vice do Nélio Aguiar, que é o José Maria Tapajós. Foi candidato a Prefeito testado, repetindo uma votação boa para Vereador e Deputado Estadual, e que fez uma composição boa com os Democratas, e o candidato a prefeito Nélio Aguiar, com apoio do ex-deputado federal Lira Maia, que é o criador do atual Prefeito. Alexandre Von, tudo o que conseguiu na vida pública foi através do ex-deputado federal Lira Maia, que agora está patrocinando a candidatura de Nélio Aguiar e conseguiu colocar na chapa, não desmerecendo os outros, o melhor vice dessa campanha, José Maria Tapajós.
Jornal O Impacto: Como o senhor analisa a intervenção do deputado federal Wladimir Costa na região e principalmente em Santarém?
Osmando Figueiredo: Como analista político, não vejo como boa. O Wlad está vindo para cá porque está sendo expurgado de outras regiões. É uma figura folclórica, haja vista o que tem feito e apresentado no cenário nacional. Para o que Santarém representa e precisa, não é uma boa aquisição. Santarém precisa no cenário nacional de uma representatividade mais qualificada.
Jornal O Impacto: Como o senhor analisa a atuação do deputado federal Chapadinha, que ao contrário do federal Wlad, é da região?
Osmando Figueiredo: Falta qualificação ao deputado Chapadinha. A votação que ele teve, por si só não o credencia ao mandato. Lamentavelmente o sistema eleitoral, essa história de coeficiente fez com que ele tivesse uma votação bem menor que muitos candidatos a Deputado Federal, porém, o fato de ser puxado pela legenda é que o fez chegar onde está. Chega sem qualificação política, não é pessoal, mas sem entendimento do que é o mandato; o que representa para si e para a população. Isso faz com que ele, em meu ponto de vista, não esteja desenvolvendo um mandato qualificado para beneficiar a região. Nós estamos vivendo um momento de crise nacional e regional; falta de trabalho e emprego, a economia deteriorada, os valores das pessoas em péssima qualidade, por sua vez, o deputado Chapadinha está dando apoio ao Prefeito quando este está tratando as pessoas com descaso. O Deputado tem que explicar em troca do que está dando este apoio ao Prefeito. O mandato que o povo outorga tem que ser qualificado. Minha crítica ao deputado Chapadinha é por ele não estar qualificando este mandato.
Por: Carlos Cruz

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.