Denúncia – Rua abandonada vira lixão

sexta-feira, agosto 26, 2016 0 Comments

Grande quantidade de lixo foi jogado na Avenida Belo Horizonte, no Santarenzinho


Uma grande quantidade de lixo foi jogado na Avenida Belo Horizonte, no Santarenzinho
Uma grande quantidade de lixo foi jogado na Avenida Belo Horizonte, no Santarenzinho
A situação de abandono da Avenida Belo Horizonte, que liga o bairro do Santarenzinho a rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163) virou motivo de denúncia de moradores das proximidades. Quem trafega no trecho compreendido entre a entrada do Jardim Zoológico de Santarém (ZooFit) e a Ponte da Toca da Raposa constata grande quantidade de lixo jogado às margens da via.
Detritos de todos os gêneros são vistos no local, entre eles, colchões, máquinas de lavar roupa, fogões, garrafas pet, latinhas de cerveja e refrigerante, sacos plásticos, resíduos de construção civil, além de animais mortos, como gato e cachorro. A fedentina pode ser sentida há vários metros por quem se arrisca a passar no local.
Além do lixo, buracos e areia no leito da avenida viraram motivos de reclamação de condutores de veículos. Carros e motocicletas têm dificuldades para trafegar na Avenida Belo Horizonte. Os condutores reclamam que amargam prejuízos com a reposição de peças que se danificam quando trafegam na via.
O tráfego de veículos pesados na Ponte da Toca da Raposa também preocupa os comunitários do Santarenzinho. Revoltados com o grande fluxo de veículos pesados na ponte, os moradores reivindicam junto aos órgãos competentes, que coloquem fiscalização no local. Inaugurada no mês de junho de 2015, durante as comemorações alusivas ao aniversário de Santarém, a Ponte da Toca da Raposa sofreu sérios danos, nos últimos meses, por conta do fluxo de caminhões, caçambas, carretas e máquinas pesadas.
De acordo com os comunitários, a ponte facilita a mobilidade entre os bairros da Floresta, Grande Área da Nova República, Matinha e Santarenzinho. Porém, eles alertam que se não for feita fiscalização e proibido o tráfego de veículos pesados, a ponte pode estar com os dias contados.
A nova ponte tem 30 metros de extensão em madeira por 5 metros de largura e suporta 10 toneladas por eixo. Segundo os moradores, veículos de até 40 toneladas estão passando no local, o que já provocou uma inclinação em uma das laterais da ponte, provocando risco de desabamento. Além da inclinação, a madeira também começou a se soltar da estrutura da ponte.
Os moradores do Santarenzinho denunciam os riscos de acidentes na ponte provocados pelo tráfego de caçambas e carretas. A doméstica Maria Cléia Sousa utiliza a água do igarapé para lavar roupas e relatou que já presenciou vários casos de acidentes na ponte. “Uma vez uma mulher caiu na ponte. A motocicleta caiu dentro do igarapé, porque vinha passando uma carreta e a mulher foi levada para o hospital”, contou.
Além de ameaçar a segurança das pessoas, o problema afeta ainda a rotina das famílias. “Essa situação fica difícil pra gente. Caçambas com material de construção passam e caso a gente queira carregar alguma coisa, como uma mudança ou outra coisa, temos que ir por outro lugar e com isso o frete se torna mais caro e fica difícil a situação”, comenta o vigilante João Bosco Ferreira.
LEGISLAÇÃO SOBRE LIXO: Grande quantidade de lixo jogado em algumas áreas de Santarém tem sido motivo de reclamação e preocupação para muitos moradores. Entre as situações mais comuns estão os casos, onde o lixo doméstico acaba sendo colocado na rua fora dos dias e horários de coleta feita pela Prefeitura. O que pouca gente sabe é que a pessoa que for flagrada cometendo essa irregularidade estará cometendo uma infração que pode render multa de até R$ 387,20 conforme prevê o artigo 49 do Código de Postura do Município (CPM).
Colocar sacos plásticos com lixo doméstico, abandonar móveis velhos nas calçadas ou jogar resíduos de construção civil em áreas públicas e de vegetação são práticas consideradas proibidas. A recomendação aos moradores é descartar o lixo em frente às residências pouco tempo antes da passagem do caminhão coletor para evitar acúmulo, mau cheiro e problemas em dias em dias de chuva, quando a água acaba carregando os sacos plásticos para o meio das ruas e entupindo bueiros.
O Código de Postura prevê no artigo 49, que a limpeza e o asseio dos passeios e sarjetas em frente aos imóveis são de responsabilidade de seus proprietários e possuidores, inclusive com a correta destinação do lixo e que a penalidade só pode ser aplicada mediante um flagrante comprovado.
De acordo com o artigo 85, inciso 1º do Código de Postura de Santarém, datado no dia 28 de dezembro de 2012, é obrigatório o acondicionamento do lixo em recipientes adequados para sua posterior coleta. O lixo acondicionado deverá permanecer no interior do imóvel em local apropriado, sendo colocado no passeio no horário previsto para sua coleta, sendo proibida a sua colocação no canteiro central da via, sob pena do pagamento de multa.
Por: Manoel Cardoso

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.