Moradores denunciam abuso da Celpa

sexta-feira, novembro 04, 2016 0 Comments

Genival Silva mostra documento e pede ação do Poder Público



Genival Silva mostra documento e pede esclarecimentos do Poder Público
Genival Silva mostra documento e pede esclarecimentos do Poder Público
Como se não bastasse a grande crise econômica que assola nosso País, fato que tem levado muitas empresas a fecharem suas portas e o aumento do desemprego que sobe assustadoramente, as contas de luz estão causando transtornos para quem mora no Residencial Salvação, em Santarém, no oeste do Pará. Parte das casas não tem recebido os talões desde que o lugar foi ocupado e os que chegaram estão vindo com um valor cobrado muito acima do consumo. Muitos estão com medo de receber os boletos de uma só vez e comprometer o orçamento familiar.
Devido à cobrança, que eles chamam de abusiva por parte da Celpa, os moradores sempre procuram economizar no consumo de energia ligando o ventilador somente pela parte da noite. Mesmo com tantos cuidados, estão recebendo um alto valor em suas contas de energia elétrica. Em algumas residências o controle é rigoroso com relação ao consumo de energia. “As crianças só assistem televisão durante uma hora por dia. Já nem ligo mais nada. Como passo o dia fora, só ligo alguma coisa pela parte da noite. Um ventilador para as crianças dormirem e TV para assistir um jornal. Depois desligamos tudo”, disse uma moradora.
Genival Silva, representante dos moradores do Residencial Salvação, acompanhado do advogado Sérgio Sant’Anna, recebeu nossa reportagem para falar sobre a grave situação por qual passam os moradores. Na ocasião, ele falou que muita gente já está pensando em desistir das casas por não ter condições de pagar a energia elétrica. Genival disse que uma comissão de moradores do Residencial até à Câmara Municipal de Santarém, onde reivindicaram que fosse instalado um posto de atendimento da Celpa no Residencial, para atender as pessoas de baixa renda. Na ocasião, o representante da Celpa ficou de montar um posto de atendimento no Residencial, mas não justificou o porquê dos aumentos, e ninguém foi checar.
Residências estão tendo a energia cortada por falta de pagamento
Residências estão tendo a energia cortada por falta de pagamento
“Depois do dia 16 de agosto foi aberta uma sessão especial de trabalho, onde compareceram 384 moradores que firmaram um abaixo assinado. Se fizeram presentes os vereadores Ivete Bastos, Henderson Pinto e Ronan Liberal Jr.; também estava o representante da CELPA, Gilliard Vaz, que se comprometeu de fazer o cadastro de baixa renda para todos. Temos os documentos protocolados pela Câmara Municipal de Santarém. Queremos esclarecimentos do Poder Público, pois muita gente aqui sobrevive somente com o Bolsa-família, que vai de R$ 120,00 a R$ 214,00; não há possibilidade de um pai de família que vive de bico pagar um talão de energia de R$ 700,00. Após a sessão especial do dia 16 e agosto na Câmara, o posto de atendimento da Celpa veio ao Residencial para fazer o cadastro e recadastro de baixa renda a todos os moradores, mas até agora o valor de baixa renda ainda não veio para nenhum dos moradores. A instalação do posto não resultou em benefício nenhum. Esperamos há quase 3 meses um parecer do Poder Público”, disse Genival Silva.
Keila Simone Calazans Santos, moradora da Rua Quero-Quero, no Residencial Salvação, teve sua energia cortada pela Celpa. “Estamos reivindicando questões com a Celpa, pois os talões estão vindos com valores muito altos, nós possuímos baixa renda e não podemos pagar esse valor de energia. No meu caso cortaram a minha luz. O valor anterior que a gente pagava era mais em conta, dava para conciliarmos com outras despesas, agora os talões estão vindo com valores tão absurdos que não estamos podendo pagar. Estão cobrando por coisa que não estamos consumindo. Na minha casa tenho somente um televisão, uma geladeira e dois ventiladores, o mesmo que usava na casa anterior, e lá eu gastava no máximo R$ 100, e agora está vindo uns R$300,00. Isso é um absurdo”, disse Keila Santos.
Fredson Ferreira de Souza, que antes morava no bairro Jardim Santarém, também teve sua energia cortada. “Quando eu cheguei aqui paguei a taxa de R$ 16,00. Quando veio ao segundo talão o valor passou para R$ 87,00. O terceiro também veio de R$ 86,00. Agora chegou a esse absurdo de R$ 212,00. Não tive como pagar e hoje (31/10) vieram cortar minha luz. O pior é que eu não estava em casa”, desabafou Fredson de Souza.
Outra moradora que não concorda com a ação abusiva da Celpa é a aposentada Mariselma Sousa Sena, que por não ter condições de pagar a conta da Celpa, teve sua energia cortada. “Eu pago atualmente R$ 466.97, moro aqui há 5 meses. Na minha residência anterior eu pagava em média R$ 45,00. Esse valor não é compatível com a minha renda. Na minha casa é só eu e meu marido; agora que meu filho veio morar conosco, mas temos apenas 1 geladeira e 1 ventilador. Não dá para pagar esse valor. Alguém tem que fazer alguma coisa, pois os homens da Celpa chegam aqui e vão cortando a energia das residências e quando questionamos, eles só fazem dizer para procurarmos a agência”, declarou Mariselma.
Durante a visita de nossa reportagem ao Residencial Salvação pudemos presenciar o desespero de muita gente. São 3.081 casas no Residencial, com uma população de aproximadamente 15 mil pessoas. Todas mostraram revolta com essa ação da Celpa. “Meu primeiro talão aqui no Residencial veio R$ 273,00. O segundo veio R$ 233,00 e agora veio um talão de R$ 485,00. Ainda não paguei nem esse, nem o do mês passado porque não tenho dinheiro. No meu antigo endereço eu pagava entre R$ 90 e R$ 110,00”, disse outra moradora. “Aqui tem vindo talão de R$ 700, R$300 e R$ 200. Onde a gente morava no bairro São José Operário pagávamos em média R$ 70 e R$ 80. Aqui, o mais barato que veio foi a taxa de R$16,00, depois só esse com valores elevados”, disse a moradora Tatiana Sousa de Souza.
O advogado Sérgio Sant’Anna falou que já está tomando as medidas cabíveis. Além de questionar a empresa Celpa sobre essa cobrança absurda com as pessoas de baixa renda, já entrou com uma representação no Ministério Público para que apure as denúncias dos moradores do Residencial Salvação, que já pensam em desistir de suas casas, por não terem condições de pagar a conta de energia.
Por: Rafael Duarte

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.