ALUNOS VÃO PODER OPINAR SOBRE PRODUTOS DA MERENDA ESCOLAR

quinta-feira, janeiro 19, 2017 0 Comments

A Prefeitura Municipal de Santarém, por meio da Secretaria de Educação (Semed), realizará em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE) ainda no primeiro semestre deste ano, três audiências públicas para ouvir a comunidade escolar sobre a qualidade da merenda e os tipos de produtos que devem integrar o cardápio das unidades escolares tanto da rede municipal quanto estadual.
A realização das audiências se dará em atendimento a uma sugestão feita pela promotora Lilian Braga, da 8ª Promotoria de Justiça que cuida de assuntos relacionados à saúde e à educação, durante reunião realizada na sede do MPE na manhã desta quarta-feira (18), com a participação da professora Marluce Pinho - secretária municipal de Educação; Vanda Maia – coordenadora da Divisão de Atendimento ao Educando (DAE) da Semed; Mariane Sussuarana – nutricionista; e Vanusa Araújo – responsável pelos contratos da merenda escolar.
As audiências ainda não têm datas definidas, mas serão realizadas inicialmente com as escolas municipais e estaduais da zona urbana do município, em seguida, com as escolas da região de Planalto e Eixo Forte; e por último, com as unidades escolares da região de várzea e rios.
“Será uma oportunidade para os alunos opinarem sobre o que será colocado nos refeitórios das escolas para alimentação deles. Com base nas sugestões que forem apresentadas, será feito um levantamento dos custos para que o município verifique se é viável e se terá condições de bancar a alimentação sugerida, considerando o volume de recursos enviado pelo governo federal”, frisou Vanda Maia, coordenadora da DAE.
Atualmente são atendidos com merenda escolar em Santarém, 108.249 alunos, divididos em escolas das redes municipal e estadual.
Mariane Sussuarana destacou na reunião que os nutricionistas da Semed têm todo um cuidado com a qualidade dos produtos que compõem a merenda escolar.  É verificada a qualidade e a data de vencimento, para não ir produto vencido para a escola. Além disso, a equipe de nutricionistas faz o acompanhamento de como a merenda está chegando para os alunos.
A promotora Lilian Braga ressaltou que o Ministério Público não recebia demandas relacionadas à merenda das escolas municipais. As demandas começaram a chegar por meio do movimento estudantil, sempre em relação às escolas estaduais. Mas, achou por bem convidar a Semed para participar das discussões porque o município é responsável pela aquisição e distribuição da merenda.
“Na verdade o MP nem precisaria fazer esse acompanhamento, porque é obrigação do Estado e do município prestar alimentação escolar adequada e de qualidade, mas o papel do Ministério Público para qualquer demanda que nos chega é fazer o diálogo entre aqueles que se sentem prejudicados e o poder público. O objetivo é resolver as questões de forma extrajudicial, sem necessidade de uma demanda judicial”, declarou.

O MP também sugeriu que o município faça capacitação para as merendeiras tanto da rede municipal quanto do Estado. Para viabilizar os cursos, a secretária Marluce Pinho disse que a Prefeitura buscará parceria com outras instituições.

Texto:Sílvia Vieira – Assessor de imprensa da Semed 

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.