Obras do Estado em atraso prejudicam população de Santarém

sexta-feira, junho 23, 2017 0 Comments

Em pleno período do aniversário de 356 anos da fundação de Santarém, os moradores questionam os reais motivos da falta de conclusão de obras, pelo Governo do Estado. Pelo menos três obras iniciadas há mais de quatro anos pelo governador do Pará, Simão de Oliveira Jatene (PSDB), continuam sendo construídas a passos lentos e sem prazo para inauguração.
Uma delas, o Ginásio Poliesportivo, localizado no bairro do Aeroporto Velho, iniciado há mais de quatro anos, continua sem prazo para a conclusão. As obras da praça de esportes, orçadas em quase R$ 10 milhões, começaram em maio de 2013 e deveriam ser entregues em agosto de 2014, o que não aconteceu. A nova previsão é que o espaço seja concluído e entregue em 2018.
Outra praça de esportes que continua com obras em atraso, é o Estádio Jader Fontenelle Barbalho, o “Barbalhão”, também conhecido em todo o Brasil como “Colosso do Tapajós”. A 1ª etapa da obra, iniciada em fevereiro de 2013, previa a recuperação de toda a parte estrutural do estádio, incluindo novas fundações, cobertura e a reforma completa das estruturas elétrica, hidráulica e sanitária. Porém, ainda não foi concluída.
Hoje Santarém conta com três times profissionais de futebol. Entre eles, o São Francisco Futebol Clube, o São Raimundo Esporte Clube e o Tapajós Futebol Clube.
Para os torcedores das três equipes, terminar as obras de recuperação e conclusão é fundamental para o desenvolvimento do esporte na região do Baixo Amazonas. O projeto do estádio segue as normas exigidas pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) e poderá se tornar um dos mais modernos do Pará. Porém, ainda não há prazo do Governo do Estado para a inauguração.
Já os dirigentes dos clubes lembram que a população santarena merece assistir aos jogos no estádio e que os times necessitam de recursos para manter os craques. Por isso, precisam da renda dos jogos dos campeonatos disputados pelas equipes. Por conta disso, eles cobram a conclusão da praça de esportes junto à administração pública estadual.
A obra orçada em R$ 18,9 milhões e, que só deve terminar em meados de 2019, ainda não está pronta. Mesmo assim, o local continua sendo palco dos jogos times do São Francisco e do São Raimundo, válidos pelo Campeonato Brasileiro da Série D.
Outra questão que gera preocupação na população de Santarém é a falta de conclusão das obras de reforma da Escola Estadual Frei Ambrósio, localizada no centro da cidade. No dia 12 deste mês de junho, parte do teto da biblioteca da Escola Frei Ambrósio cedeu provocando riscos a alunos e funcionários. O incidente não deixou feridos.
Após a queda da estrutura, o local foi interditado por militares do Corpo de Bombeiros, que temeram o desabamento da estrutura.
Segundo pais de alunos, a obra de reforma da escola iniciou há quase três anos e nunca foi concluída. A Frei Ambrósio é a mais antiga escola de Santarém, fundada em 03 de maio de 1900.
A demora na conclusão das obras, inclusive, motivou críticas e cobranças ao governador Simão Jatene, pela população de Santarém, durante visita do político na cidade, no dia 10 deste mês.
O povo de Santarém questionou a visita do Governador – que tinha o objetivo de inaugurar uma escola técnica – sem ter ao menos finalizado a obra na escola Frei Ambrósio.
Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.