Deputado defende o imediato rebaixamento do Linhão da Calha Norte e a recuperação do Linhão do Tramoeste


O Deputado Chapadinha apresentou na Câmara dos Deputados Indicação ao Ministro de Minas e Energia a execução dos estudos, bem como a liberação de recursos para viabilizar o rebaixamento do Linhão da Calha Norte e a recuperação do Linhão do Tramoeste no Estado do Pará.
Deputado Chapadinha quer que o Ministério de Minas e Energia encontre uma solução definitiva em relação a situação que se encontram os Municípios da margem esquerda do Rio Amazonas
Segundo o Parlamentar, se faz urgente e necessário que o Governo Federal, através do Ministério de Minas e Energia, encontre uma solução definitiva em relação a situação que se encontram os Municípios da margem esquerda do Rio Amazonas: Almeirim, Prainha, Monte Alegre, Curuá, Alenquer, Óbidos, Oriximiná, Faro e Terra Santa, além de Juruti (que fica na margem direita). Para ele, é inadmissível que as populações daqueles Municípios vejam passar sob suas cabeças o Linhão da Calha Norte – construído para levar energia elétrica de qualidade de Tucuruí para as capitais do Amazonas e do Amapá – com energia estável e tenham de conviver com constantes apagões e falta diária de energia, acarretando prejuízos e mais prejuízos sem ao menos vislumbrar o seu atendimento com energia de qualidade. “A solução seria o imediato rebaixamento daquele linhão”.
Para Chapadinha também é importante que seja autorizada a recuperação do Linhão do Tramoeste, que atende a região da Transamazônica e de Santarém. Construída na década de 90, aquela linha de transmissão – apesar de algumas soluções paliativas que foram implementadas – passa por um processo de sucateamento e de defasagem, justamente por não estar conseguindo suprir a atual demanda.
“Além do imediato rebaixamento do Linhão da Calha Norte e da recuperação do Linhão do Tramoeste, é primordial que seja construída uma nova linha de transmissão a partir de Tucuruí e, no futuro, a interligação com o Sistema Belo Monte para suprir as demandas atuais. Nossa Região vem se desenvolvendo e tem recebido importantes projetos do Governo Federal, tais como: a implantação de portos, ferrovias, estradas. Centenas de indústrias estão se instalando na região. Precisamos de mais energia de forma a se promover um desenvolvimento gradual e sustentável. Além disso, defendemos a redução das tarifas de energia elétrica na região, uma vez que o Estado do Pará vem tendo um dos maiores índices de correção do País (superando desde o ano de 2015, 40% de aumento, sem ao menos oferecer um serviço de qualidade). Precisamos acabar de uma vez por todas com o sofrimento da população assegurando o fornecimento de energia de qualidade a um preço justo”, concluiu o Deputado.