'Sou o presidente de fato e de direito da CBF', diz coronel Nunes

Nunes e esposa (Rosa) saem do hotel para passeio em Moscou
“Sou o presidente de fato e de direito da CBF.” A declaração é do coronel Antônio Nunes que, em teoria, comanda uma das maiores entidades do futebol no mundo, apesar de seu isolamento. Em seu último dia na Rússia, depois de um mês no país da Copa do Mundo, o dirigente comentou sua situação, da seleção e mesmo da Copa América. Em suas declarações, deixou claro que não pretende abrir mão do cargo. “Meu mandato termina em 19 de abril de 2019 e então passaremos para o Rogério (Caboclo)”, disse. Em sua avaliação, não há nada de errado na forma pela qual assumiu a presidência da entidade. “Os estatutos foram respeitados”, ressaltou.

Nunes assumiu o posto depois que Marco Polo del Nero foi afastado do futebol, por corrupção. Antes da queda, porém, ele manobrou para colocar Nunes no cargo de vice-presidente e, por sua idade, atender ao critério de ser seu sucessor até as próximas eleições, que apontaram Caboclo para a cadeira.

Presidente da Liga Esportiva de Santarém -Pa, presidente da Federação Paraense de Futebol por seis mandatos e coronel da reserva da Polícia Militar do Pará, Nunes é também investigado pelo Ministério Público daquele Estado pela sua atuação no futebol. Em 2011, 12 e 13, a federação recebeu R$ 3,5 milhões de verba pública. Os promotores querem saber como foi gasto o dinheiro.

Último representante da CBF em Moscou, Nunes deixa a cidade hoje (10), quatro dias depois da eliminação da seleção brasileira. O problema, segundo ele, foi encontrar voos de volta. Nesses dias, porém, o presidente da CBF não participou de qualquer reunião e, em pelo menos duas ocasiões, saiu do hotel apenas para passeios por Moscou.
Fonte: Estadão