DESABAFO DE UMA JOVEM DE 17

quinta-feira, maio 05, 2016 0 Comments

Jovem estudante Luana Santana

Olá Colares bom dia, meu nome é Luana Santana, tenho 17 anos e estou aqui para pedir ajuda de vocês. No último dia 01 de maio passei mal e tive que ir ao pronto socorro municipal pela primeira vez. Fui bem atendida (até porque não era nada grave e não havia tanta gente), mas andando por lá vi que ainda faltam muitos recursos, remédios, médicos e muita, muita atenção aos estados mais graves. O pronto socorro está em um estado tão precário que se você entrar lá irá ver pacientes jogados um em cima do outro (como se fossem objetos qualquer), familiares dormindo/jogados nas calçadas por falta de espaços (como se fossem lixos), pacientes chorando desesperadamente implorando por ajuda, sangue para todos os lados por falta de curativos e atenções.. Não sei se você já teve que passar por isso, mas garanto que é a pior sensação que alguém pode ter, ver seus familiares, amigos ou até mesmo pessoas que você nunca viu na vida passar por aquilo. Você toma a dor da pessoa de um certo modo que o que sente é raiva, angústia, tristeza... por não poder fazer nada, apenas esperar e esperar, sem saber se a pessoa irá ter forças o suficiente para conseguir sobreviver naquelas devidas condições. Muitas coisas são improvisadas pelos próprios acompanhantes dos pacientes no qual eu admiro muito por estarem ali do lado firmes e fortes tentando passar apenas energias positivas para os que estão perdendo aos poucos suas esperanças. Não tive coragem de bater foto daquelas condições para mostrar a vocês, nem olhar direito eu conseguia. Passei a maior parte do tempo com olhos fechados e fones no ouvido para não ver e nem escutar nada que se passava por ali. Não foi egoísmo meu, mas é que dói sabe você escutar todos aqueles pedidos de socorro e não poder fazer nada para ajudar. Tudo o que você quer é sair dali, porque parece que lá dentro tudo piora. Foi horrível ver os pacientes naquele estado deplorável. De forma alguma estou reclamando dos médicos e enfermeiros ali presentes, até porque tudo que podem fazer eles fazem. O problema é a falta deles, são poucos médicos para o tanto de pacientes que existem naquele local. E a todo minuto vão chegando mais e acabam se jogando no chão ou nas cadeiras por falta de leitos e aparelhos. E a gente se pergunta ONDE ESTÁ O PREFEITO DESTA CIDADE MEU PAI? O que eles está fazendo com o dinheiro? Por que que ele não olha para esse povo? Deve ser porque ele nunca teve que passar por isso e não tem um pingo de compaixão pelo próximo. Em primeiro lugar temos que olhar para a saúde. Porque sem saúde não podemos fazer nada. Resolvi escrever esse desabafo porque é a única coisa que eu posso fazer no momento, suplicar por ajuda de vocês que já passaram ou não por aquele pronto socorro. E que publiquem nas suas redes sociais (sem baixarias e xingamentos, por favor) um pedido de ajuda para que o prefeito possa olhar por aquele povo. Obrigada a todos que leram e que irão ajudar.

Luana Santana - Via e-mail para o BLOG DO COLARES.

Distinta jovem, você teve muita sorte de ser bem atendida...o resto todos sabem da grande carência, bons serviços públicos e desmandos que ali existem. Obrigado por  confiar no Espaço.

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.