Polícia Civil deflagra operação de combate à corrupção

quarta-feira, fevereiro 08, 2017 0 Comments

A Polícia Civil prendeu, na terça-feira (7) em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Ana Lúcia Magalhães, ex-vereadora do município de Mãe do Rio, nordeste paraense. A operação policial, denominada Iara, foi deflagrada em Mãe do Rio para cumprir mais de 20 ordens judiciais, dentre as quais, três prisões preventivas, de acusados de envolvimento em um esquema de corrupção. A ação policial foi resultado de investigação realizada por policiais civis da Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas, unidade policial vinculada à DRCO (Divisão de Repressão ao Crime Organizado).
O delegado Evandro Moreira, diretor da DRCO, explica que o trabalho investigativo foi iniciado para apurar crimes contra a administração pública de Mãe do Rio, com práticas de corrupção e parcelamento irregular de solo urbano do município. “Apuramos que vereadores do município teriam recebido indevidamente lotes no Residencial Ipiranga pra aprovarem o projeto de lei de expansão urbana de Mãe do Rio em que se inseria o citado loteamento”, explica. Além do crime de corrupção, destaca o delegado, os sócios do loteamento praticaram o crime de parcelamento irregular do solo, ao comercializarem terrenos no loteamento sem possuir registro em cartório de imóveis.
Em um primeiro momento nas investigações, a equipe de policiais civis cumpriu mandado de busca e apreensão na sede do residencial. Na ocasião, ressalta o delegado, foi constatado que houve o recebimento de lotes por parte de vereadores, além de bilhetes e propostas de contrato de compra e venda de terrenos para dissimular uma compra regular. “Foram apreendidos computadores e outros objetos, que foram periciados”, detalha Moreira.
A segunda fase da operação, deflagrada nesta terça, tinha como objetivo cumprir 21 mandados judiciais – três de prisão preventiva; oito de busca e apreensão e dez de condução coercitiva. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz Cristiano Magalhães Gomes, titular da Comarca de Mãe do Rio. “Várias testemunhas e investigados prestaram depoimento à Polícia Civil e também apreendemos vários elementos de prova”, explica o delegado. Dos três mandados de prisão, foi cumprido apenas o contra Ana Lúcia Magalhães, mais conhecida como Ana do Povão, que até o fim de 2016 exercia a função de vereadora na Câmara Municipal de Mãe do Rio.
Os outros dois acusados continuam foragidos. As investigações foram presididas pelo delegado Carlos Vieira, da Delegacia de Combate a Defraudações Públicas. A operação contou com a participação de integrantes das delegacias que compõe a DRCO, além da DRFR (Divisão de Repressão a Furtos e Roubos), do Serviço de Polícia Interestadual (Polinter), da DPI (Diretoria de Polícia do Interior), do GPE (Grupo de Pronto-Emprego), do NIP (Núcleo de Inteligência Policial) e da Divisão de Homicídios.

Fonte: Redação ORM News p/ Blog do Colares...

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.