Sílvio Amorim: “Celpa é irresponsável e despreparada”

Tanto no centro da cidade, quanto na periferia e comunidades da zona rural, a falta de energia durou cerca de 6 horas, em alguns casos, intercalados com diversas interrupções, o que ocasionou muitos prejuízos aos consumidores da Rede Celpa – concessionária de energia responsável pelo fornecimento de energia na região.
Para o vereador Sílvio Amorim, o descaso é revoltante, e a principal prejudicada como sempre é a população, que além de pagar uma taxa de energia cara, tem como retorno um serviço de péssima qualidade.
“É uma irresponsabilidade tremenda. Essa empresa que está aqui na região amazônica, sabe que nestas épocas, onde tem muita chuva e vento, tem que estar preparada para isto. O que acontece? A Celpa cobra tarifas absurdas, e fornece energia de péssima qualidade, sem falar da cobrança de impostos indevidos, onde nós, enquanto parlamentar estamos organizando nossa equipe jurídica, para entrarmos como uma ação coletiva. Estamos realizando reuniões nos bairros, já anunciamos na tribuna da Câmara, a gente irá começar pelo bairro da Prainha, pela associação, depois nós iremos seguir, e vamos entrar com ações coletivas para buscarmos os recursos da bitributação, e também, a situação do ICMS que é cobrado de forma indevida, e já temos jurisprudência no Supremo, onde várias pessoas, através de ações, já lograram êxito em relação a esse tema. Portanto, nós estamos discutindo, e vamos iniciar com essa ação, porque a gente não aguenta mais. A Cosanpa, que também é um problema sério e crônico, que precisa ser extirpada de Santarém, e a Celpa, que precisa se organizar e prestar serviço de vergonha para a comunidade. Hoje, nós estamos numa situação complicada. Estes apagões são comuns para a Celpa, mas a gente só vê o aumento de patrimônio da Rede Celpa, e vive dizendo que está no vermelho. Na verdade, quem fica em dificuldade é a população e temos que estar aplaudindo eles? Negativo! Vamos entrar com ações coletivas contra a Rede Celpa, para que possamos buscar o direito da população, que estão sendo tolhidos por muitos e muitos anos, e a gente precisa fazer alguma coisa. Esse é o nosso papel”, afirmou o parlamentar.
Como resultado do apagão que atingiu a Pérola do Tapajós, à nossa reportagem chegaram muitos os relatos de consumidores que tiveram problemas com eletrodomésticos que foram danificados devido às constantes interrupções da energia.
Segundo nota da Celpa, o apagão do início da semana foi resultado do forte temporal da noite do dia 14, que provocou o desligamento da Linha de Transmissão Rurópolis/Tapajós, que atende à cidade de Santarém. Imediatamente equipes foram deslocadas e trabalharam durante a madrugada para o restabelecimento.
Sumidouros feitos com pneus doados pela Prefeitura
 MANDATO EM SERVIÇO DA COMUNIDADE: O vereador Sílvio Amorim comanda o projeto que já virou marca de sua atuação como parlamentar. Trata-se da iniciativa que trabalha na construção de sumidouros ecológicos. Neste mês de fevereiro, o projeto recebeu mais um reconhecimento. Desta vez a iniciativa será incentivada em Alter do Chão, com parceira da Prefeitura de Santarém, por meio do prefeito Nélio Aguiar.
No dia 4 de fevereiro o Vereador esteve visitando 25 famílias que residem na vila balneária de Alter do Chão. Segundo o parlamentar, Alter do Chão precisa o quanto antes projetar a preservação do local. “O projeto já deu certo em Santarém, por isso queremos expandir”, informou.
O projeto denominado “Sumindo com o Problema” atendeu diversas famílias na área urbana onde não havia sumidouros e a água servida era despejada de forma irregular diretamente na  rua. Amorim ainda confirmou que após reunir com os administradores da vila de Alter do Chão, uma conversa geral deverá acontecer com os moradores para que entendam os benefícios do projeto e assim iniciar os trabalhos.
“A necessidade lá na Vila é muito latente, e veio a calhar pelo baixo custo ao morador, e o custo para o governo municipal que vai ser o parceiro, vai ser muito baixo, pois vai ser somente o transporte dos pneus para Alter do Chão, onde temos o problema de águas servidas, que são despejadas no meio fio das vias da Vila, caem na boca de lobo, e consequentemente chegam às águas do rio Tapajós. Se conseguirmos fazer com que esse problema seja sanado, resolveremos um problema que é crônico com atitudes simples. É importante ressaltarmos a importância da parceria. Para o morador ter o seu sumidouro, a gente só solicita que ele perfure o buraco. Neste caso, utilizaremos pneus de caminhões, e esses pneus doados pela Prefeitura, e nós, enquanto mandato de Vereador cederemos os assessores, e o instituto Calandrini entra com as tampas. O morador faz o buraco, e doa duas latas de brita. A gente utiliza o próprio tubo que ele joga água para rua, e direciona para dentro do sumidouro.  A gente se une, e a população que sai ganhando, pois vê seus imóveis valorizados, quando sai de casa não pisa mais na lama, e fica tudo mais organizado a via onde o cidadão reside”, informou Amorim.
Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto