Defesa Civil trabalhará para contornar situações de risco em Santarém

Darlison Maia, titular da Comdec, garante que população estará bem servida
O Coordenador da Defesa Civil em Santarém, Darlison Maia, esteve em nossa redação, onde foi entrevistado por Osvaldo de Andrade e abordou sobre vários assuntos, entre os quais de ter aceito o convite para assumir a Defesa Civil no governo de Nélio Aguiar. Vale lembrar, que Darlison esteve à frente dessa Coordenadoria no governo do ex-prefeito Alexandre Von.
“Nós ficamos um ano e cinco meses fora dessa atividade e recentemente o prefeito Nélio entrou em contato comigo para me sondar a respeito do trabalho no governo passado junto à Defesa Civil para fazer um comparativo do que estava acontecendo. Tivemos uma conversa formal, até mesmo para pegar algumas orientações, inclusive eu disse que quando a ex-coordenadora Laura assumiu eu me coloquei à disposição. Nós estivemos por várias vezes conversando e orientando a mesma, sempre me coloquei à disposição, nós não temos que pensar na gente ou no governo e sim no município de Santarém. Então, repassamos todas as informações e orientávamos da forma como fazíamos. Posteriormente tivemos outra coordenação e recentemente o Prefeito me fez um convite, e disse: “Se você puder colaborar com o governo e o Município, e se eu aceitaria”. Então, depois dessa conversa nós aceitamos, o partido que indicou a pasta também aceitou o nosso nome, e estamos por lá para desenvolver esse trabalho da Defesa Civil”, disse Darlison Maia.
É bom esclarecermos um ponto em relação à sua questão política e partidária. Você é filiado ao PSDB, que não fez parte da coligação que elegeu o prefeito Nélio e, como você disse, não foi uma conversa e um convite como troca de favores partidários, mas foi uma conversa que lhe leva para o governo, não indicado pelo PSDB. Mas, com certeza você deve ter entrado em contato com suas lideranças no sentido de ser liberado para assumir a tal função? Questionamos.
“Na verdade, foi muito rápido e surpreendente, pois a conversa foi em um domingo de manhã e quando chegou à noite, o Prefeito já me passou a mensagem dizendo que poderia estar assumindo na segunda-feira. Nó tivemos essa conversa que falei anteriormente, um mês antes da troca de informações e quando foi no domingo, salve engano dia 3, ele falou que tinha conversado com a base do governo, com o partido que tinha indicado o ex-coordenador e que tinham aceitado o meu nome para retornar à Defesa Civil. Não houve indicação de ninguém, foi uma escolha pessoal do Prefeito. Até mesmo porque até hoje ninguém chegou comigo e disse: ‘olha, foi eu quem te indiquei’. Então, quando nós conversamos, falamos sobre Santarém, trabalhar a nível de Santarém e não a questão partidária. Logo que ele me convidou oficialmente, eu comuniquei o partido, dizendo que havia sido convidado e tinha aceito. Não me falou questão de sair do partido, me desfiliar e me filiar a outro partido. Hoje me sinto bem à vontade, eu não sei para frente o que vai acontecer. Como eu comentei com ele, a política é dinâmica e o dia de amanhã não nos pertence”, declarou.
Aproveitando esse gancho, na última entrevista que fizemos com o prefeito Nélio, quando entramos nessa parte política, tem eleições agora para Governador e exatamente a posição dele que nós questionamos. Como no seu caso, ele é filiado do DEM, então, perguntamos se ele iria apoiar o candidato ao governo do Estado que é do DEM e ele foi taxativo ao dizer o seguinte: “Eu tenho compromisso político e respeito pelo meu partido. Agora, eu tenho compromisso com o Helder, que inclusive é de outro partido”. Quer dizer, é algo que acontece no momento em que a democracia permite isso. Você acha necessário pedir uma licença do PSDB? Perguntamos.
“Eu já analisei essa situação, eu consultei um amigo que entende do assunto e ele me falou a princípio que não cabia uma licença, mas ainda vou estudar essa situação, ainda vou conversar com nossos líderes de partido, não tive a oportunidade, apesar de já ter comunicado que queria conversar pessoalmente. Recebi de muitos colegas do partido o apoio, embora não muitos no grupo, mas no privado, recebi ligação do presidente do meu partido, vereador Ney Santana, do nosso vereador Jandeilson, do nosso vereador Chiquinho, me parabenizando, dizendo que a escolha foi boa. Isso me deixa feliz, porque me deixou tranquilo com relação à questão partidária”, disse Darlison.
Já foi lançada a pré-candidatura a governo do deputado Márcio Miranda, que é do DEM, talvez até isso facilite a sua vida porque o PSDB vai apoiar o candidato do DEM. Pelo menos é isso que está desenhado até agora.
“Exatamente. Existe esse desenho, que haverá essa coligação com os Democratas e PSDB, mas estamos aguardando até que eles definam realmente o que vai acontecer para que nós possamos nos manifestar. Eu passei uma mensagem para meu presidente dias atrás, dizendo que minha convicção política continua a mesma e que eu estava aguardando ele me receber para conversarmos pessoalmente. Nós estamos nesse aguardo”, informou.
Temos certeza que o convite feito pelo prefeito Nélio é resultado de um trabalho que você fez quando atuou na Defesa Civil, inclusive me lembro que aconteceu uma simulação na Serra da Matinha, veio a Defesa Civil Nacional, Estadual e Regional, bem como outros projetos que você encaminhou para Defesa Civil Nacional. Isso com certeza pesou bastante. E agora na sua volta, como está a casa, está arrumadinha, haverá mudanças? Perguntamos.
“Nós estamos pegando um carro em movimento, mas algumas situações nós teremos que corrigir até mesmo pela inexperiência das pessoas que assumiram. Eu sempre me coloquei à disposição para estarmos discutindo, a gente tem um apoio muito grande da 4ª Rendec, que é a Defesa Civil do Estado e Defesa Civil Nacional, ela quem dá toda sustentação e apoio logístico, com a parte burocrática para as defesas civis dos municípios, inclusive a estadual. Então, esse apoio nós temos graças a Deus. Nós temos algumas ações que também não dependem somente da Defesa Civil, mas de toda a estrutura governamental. Quando estivemos à frente, fizemos vários projetos. Aquela simulação, inclusive servindo de modelo para outras simulações em outros municípios. Foi a primeira que foi feita na região Norte do País, uma simulação no bairro da Matinha e a gente pretende dar andamento nesses projetos, dessa forma. Existem muitas situações em que a Defesa Civil pode contribuir juntamente com a Secretaria de Infraestrutura que faz os projetos, planos de trabalho e engenharia nessas situações de locais de risco, onde acontecem as enxurradas em nosso Município. Sabemos que existem locais em alguns bairros que são considerados área de risco e a gente tem como conseguir recursos, por exemplo, hoje está em construção a orla, o Município foi contemplado justamente por causa da Defesa Civil, ou seja, se não fosse o relatório da Defesa Civil, as situações que acontecem no período invernoso em Santarém, esse projeto não estaria andando na forma que está atualmente. A gente tem esse cuidado, já conversei com o Secretário de Infraestrutura para trabalharmos juntos, nesse sentido de tentar trazer recursos para melhoria, principalmente na parte periférica do município de Santarém”, declarou Darlison Maia.
Nós tivemos um inverno muito pesado, muitos problemas ocorreram de famílias que perderam objetos, como geladeiras, fogões e outros, quando as casas foram inundadas. Você comentou “in off”, que tinha entrado em contato com a Caixa Econômica para tentar agilizar uma possibilidade, não de ressarcimento do que as famílias perderam, pelo Governo Federal ou pela Caixa Econômica, mas sim a facilitação da liberação do FGTS, para quem tem. Como está essa situação?
“A gente tem diariamente esse contato com a Caixa Econômica. Nós já lançamos no sistema da Caixa Econômica a situação, o formulário assinado pelo Prefeito já está na Caixa Econômica, nós já encaminhamos o mapa dos locais onde aconteceram essas situações. Não se trata de um ressarcimento às famílias de tudo aquilo que perderam, mas a possibilidade do saque do FGTS, para quem tem, como valor máximo de R$ 6.220,00, e melhor ainda, para quem foi atingido pelas intempéries da natureza e de que por um acaso cuja o proprietário ou a proprietária não tem FGTS, mas tem na família alguém morando nessa residência, que é empregado e tem saldo no FGTS. Isso pode ser repassado para essa pessoa, que o direito de receber esse saldo. Ressaltando que nós da Defesa Civil, que fomos no local, temos que dar uma declaração para ele, ou seja, esta situação surge para ajudar as famílias nesse sentido”, disse o Coordenador da Defesa Civil de Santarém.
Então, todos agora sabem que Caixa Econômica já fez contato com o Darlison sobre o andamento da situação cobrando alguns documentos. Correto?
“Exatamente. Está bem encaminhado, falta apenas alguns ajustes de algumas pessoas que a Defesa Civil na hora de fazer o atendimento, esqueceu um dado da pessoa, inclusive hoje nossa equipe foi em um perímetro de uma rua do Aeroporto que nós estávamos com os dados das casas, mas não estávamos com os dados da pessoa. Já encaminhamos nossa equipe para lá para recolher esses dados para enviarmos para a Caixa Econômica”, disse.
Ao ser questionado se houve alguma mudança na equipe ou continua com os mesmos membros, Darlison informou: “Quando o Prefeito me convidou, foi a primeira coisa que falei para ele: eu não quero mudar a equipe. Todas equipes são do governo atual, todos fizeram os cursos em Defesa Civil, assim como nós já fizemos. Eu fui bem claro com o prefeito que não queria mexer na equipe, até mesmo para sentirmos e sabermos com quem estamos trabalhando. Você tira uma pessoa que tem os cursos, já está adaptada por lá e coloca uma pessoa que não entende ainda e que vai apreender, isso não está no ritmo da Defesa Civil. Muitas vezes as pessoas acham que as coisas são fáceis, mas não são, você sair debaixo de chuva ou nesse período de sol. Nós estamos às vésperas de uma grande estiagem, então, essa equipe deve estar preparada para isso. Nós colocarmos alguém sem conhecimento, vai nos render problemas, não só para a Defesa Civil, mas para um todo”, finalizou Darlison Maia.
Por: Jefferson Miranda
Fonte: RG 15/O Impacto/blog do colares.