Pular para o conteúdo principal

VEREADOR ERASMO MAIA(DEM) : Tabocal necessita de ambulância urgente


Tabocal necessita de ambulância urgente
A ambulância já foi comprada e está sendo usada pela Secretaria Municipal de Saúde, enquanto pacientes do Tabocal são transportados em carros particulares, de forma inadequada.
O vereador Erasmo Maia (DEM), durante pronunciamento na tribuna, sessão desta segunda-feira, 21/03, apelou ao prefeito municipal para que entregue ainda nesta semana a ambulância prometida às comunidades da rodovia Santarém-Cuiabá, no Planalto Santareno.
De acordo com ele, a ambulância já foi comprada e até está sendo usada pela Secretaria Municipal de Saúde, enquanto pacientes dessa região são transportados em carros particulares, de forma inadequada. O veículo deverá ficar estacionado no Tabocal, de onde fará deslocamentos para outras comunidades daquela região, transportando pessoas doentes para Santarém. Segundo o vereador, Tabocal já está com a estrutura toda pronta para receber a ambulância.
Ainda na tribuna, Erasmo também pediu providências do governo municipal para autorizar a  reforma urgente da escola de ensino infantil e multisseriado da comunidade Cedro, que funciona de forma precária. Conforme o vereador, a comunidade tem feito coleta para garantir a pintura do prédio e a recuperação do piso, enquanto a energia elétrica é ligada através de fios telefônicos. “A escola precisa de reforma urgente, uma vez que até hoje o município não deu atenção necessária a ela”.
Usando o tempo da liderança, Erasmo voltou à tribuna para anunciar a reunião realizada nesta manhã, entre o Ministério Público, Polícia Rodoviária Federal, Seminfra e Câmara Municipal, esta representada pelo vereador Henderson Pinto (DEM) para tratar sobre o uso das calçadas no trecho urbano da rodovia Santarém-Cuiabá.
Ele lembrou que a proibição de estacionar nas calçadas vem provocando muitas reclamações de moradores, empresários e trabalhadores daquele trecho, que buscam o diálogo no sentido de que seja assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), dando prazo para que haja uma adaptação dos usuários.
Ele reconhece que é uma situação atípica, mas destaca que a Câmara pode estabelecer o compromisso de preparar uma legislação adequada sobre o uso das calçadas durante esse período, “pois tem muita gente que mora nas margens da rodovia que não pode receber amigos por falta de estacionamento, e também há muita reclamação por causa da diminuição do movimento comercial das empresas que não conseguem oferecer espaço para estacio