POUCA VERGONHA CONTINUA...

sábado, junho 11, 2016 0 Comments

Barcos desafiam leis e aportam em local proibido na orla de Santarém

Barcos tomaram o lugar turístico e obstruem a visão de quem usa aquela área da Orla


Atracação irregular de embarcações na orla de Santarém
Atracação irregular de embarcações na orla de Santarém
Mais um flagrante de desrespeito público e declarado acinte às leis municipais está sendo praticado pelos donos de embarcações que fazem linha para as zonas ribeirinhas de Santarém e outras cidades da região. Não se sabe se por falta de fiscalização ou por desconhecer as normas municipais; fato é que todos os dias dezenas de barcos se aglomeram na parte da Orla, bem em frente a um dos maiores cartões postais da cidade, que é a Praça da Matriz e a Igreja de Nossa Senhora da Conceição.
Apesar da constante desorganização na área portuária, uma obra de grandes proporções está sendo feita, ao que parece com objetivo em melhorar a estrutura de embarque e desembarque em toda extensão do local. Mas até agora, por conta dessa obra, continua tudo desorganizado. Os barcos tomaram o lugar turístico e obstruem a visão de quem usa a área da Orla para pescar e outros que usam o local para passear com a família, e aproveitar para se deliciar com a brisa e a paisagem do Crepúsculo.
QUEIXAS: O aposentado Salatiel Pinto conta que sente tristeza em ver aquela parte da Orla, onde ele freqüentava com seus netos, e que deveria ser usada para passeio, está tomada pelos barcos. “Eles não tem culpa, o que deveria era ter uma fiscalização aqui, para que este abuso não viesse a acontecer”, citou o aposentado. Junto com ele, vários outros freqüentadores da Orla e famílias seguem o mesmo rumo das queixas. “É muito triste, isso sem contar a falta de segurança que existe aqui”, disse Argemira Salgado, professora aposentada.
Uma lei para coibir esse abuso, já deveria ser arquitetada por nossos representantes vereadores, na Câmara Municipal, para que se faça uma fiscalização mais intensa naquele local. Mas nem uma coisa, nem outra acontecem. E o povo acostumado a vislumbrar a beleza do Tapajós e Amazonas agora se depara com barcos cheiros de passageiros e cargas, vindos de zonas ribeirinhas.
Também há denúncias de que pessoas que trabalham nas embarcações que ficam atracadas nesta parte da Orla, colocam mesas e cadeira em cima do cais para jogar baralho, dominó e consumirem bebidas alcoólicas, prejudicando a passagem das pessoas que usam o cais para a prática de Cooper. Muita gente já foi agredida por essas pessoas que se apossaram do cais. Também há denúncias de que em frente aos mercados Modelo e Municipal, “papudinhos” estão cobrando pedágio das pessoas que fazem caminhadas.
Outro fato que chama atenção é com relação ao congestionamento de veículos nesse trecho, onde taxis, mototaxis, caminhões baús e outros veículos se amontoam para descarregar ou carregar mercadorias, bem como passageiros. O que se vê é uma falta de fiscalização por parte da SMT, pois ninguém respeita ninguém e veículos estacionam em fila dupla, obstruindo a passagem de quem trafega pela Avenida Tapajós.
Fato é que por falta de fiscalização mais intensa, por parte dos órgãos públicos ou da Capitania dos Portos, ou mesmo por falta de opção para remanejar as embarcações, a Orla, em frente à Igreja Matriz, virou uma imensa balbúrdia. Mais um escambau ilustrado que se divulga e que serve para enfraquecer ainda mais o brilho da Pérola do Tapajós.
Por: Carlos Cruz
RG 15/O Impacto/Blog do Colares

José colares

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.