Descaso com Rodovia Fernando Guilhon deixa moradores revoltados

Motoristas fazem malabarismo para desviar seus veículos dos buracos


muitosd-buracos-causam-problemas-aos-veiculos-e-provocam-acidentes
Muitos buracos causam danos aos veículos e provocam acidentes
A grande quantidade de buracos na rodovia Fernando Guilhon, no trecho compreendido entre o viaduto e a primeira rotatória, próximo a entrada do bairro Maracanã, virou motivo de preocupação de condutores de veículos. O trecho localizado entre a terceira rotatória e a entrada do Residencial Salvação também apresenta inúmeros problemas.
Quem trafega no local constata a situação de abandono da principal via de ligação entre a zona urbana de Santarém às praias da cidade, além do aeroporto maestro Wilson Fonseca.
Motoristas e motociclistas fazem ‘malabarismo’ para trafegar no local, na tentativa de escapar dos buracos. Inconformados com a situação, os condutores de veículos pedem providências por parte da administração pública. Vários acidentes foram registrados por órgãos de segurança, no referido trecho, nos últimos dias.
Segundo moradores das proximidades, há alguns anos eles esperam o melhoramento na estrutura da via. Por quase toda a extensão da Rodovia Fernando Guilhon é possível encontrar problemas. Muitos buracos, lixo acumulado, além da obra de duplicação não concluída. “A buraqueira parece que não tem fim”, reclama a dona de casa Rosângela Cardoso.
Considerada área nobre de Santarém, onde ficam localizados grandes lojas, supermercados e um shopping, a via também atende turistas e demais visitantes que procuram os principais balneários da cidade, em busca de lazer, como as praias de Alter do Chão, conhecidas mundialmente como o “Caribe Brasileiro”.
A obra de duplicação da Rodovia Fernando Guilhon, no trecho que vai da terceira rotatória até a entrada do Residencial Salvação teve início em outubro de 2014. Após paralisação, ela foi retomada em agosto de 2015. Na época, a Prefeitura de Santarém, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Obras Especiais (NGO), garantiu que realizaria os serviços de terraplenagem para que fosse realizada a pavimentação da via em pista dupla.
A obra previa: ciclovia, calçadas com acessibilidade, pavimentação asfáltica, sinalização e faixas para pedestres, drenagem profunda e superficial. Próximo ao Rio Tapajós Shopping haveria pista de aceleração e desaceleração, com baias para o transporte coletivo.
Essa primeira etapa mediria 1.440 metros de extensão. Uma segunda etapa estaria prevista para ocorrer até a Rodovia Everaldo Martins (PA 457), na entrada para a Vila Balneária de Alter do Chão, totalizando 2.060 metros de extensão.
Passado um ano e três meses, quem trafega no local constata a falta de finalização da obra e inúmeros problemas que geram reclamações diárias de condutores de veículos.
TRANSTORNOS: As obras de duplicação da Fernando Guilhon têm gerado transtornos e insegurança ao moradores das proximidades. Segundo eles, as obras estão paralisadas, e devido a aproximação do período chuvoso, parte das residências que estão com a estrutura comprometida, poderão desabar.
Os moradores afirmam que estão preocupados com os investimentos que fizeram para amenizar os problemas ocasionados pela obra e os prejuízos que correm risco de contabilizar com a paralisação dos serviços e o início do período chuvoso (inverno amazônico). “Já fiz investimento de cerca de R$ 20 mil na reforma da calçada de minha residência, mas estou preocupada com os prejuízos que poderão surgir. Eles falam que não vão fazer agora devido a aproximação das chuvas e, que é para eu aguardar a Prefeitura concluir a obra. Até lá é arriscado eu perder o telhado da minha casa”, conta a empresária Ivete Pedroso.
moradores-do-residencial-salvacao-revoltados-com-acidentes-interditaram-rodovia
Moradores do Residencial Salvação revoltados com acidentes interditaram rodovia
TRÂNSITO PERIGOSO NA 3ª ROTATÓRIA: Um local que está deixando os moradores e motoristas bastantes temerosos é na 3ª rotatória, que dá entrada ao Residencial Salvação. Nesse trecho, que não é sinalizado, vários acidentes já aconteceram, inclusive com vítimas fatais. Os acidentes são freqüentes principalmente nos finais de semana e feriados, quando a população se dirige aos balneários da cidade e também ao aeroporto Maestro Wilson Fonseca. A rotatória fica perigosa, também, com as pessoas que vão ao Rio Tapajós Shopping, pois a saída tem que ser por lá. O acidente mais recente aconteceu na tarde de terça-feira (15) entre dois veículos, deixando três pessoas feridas, que sofreram fraturas pelo corpo e foram levadas ao PSM. Após a batida, os moradores do Residencial bastantes revoltados, interditaram a pista, fazendo com que os motoristas passassem com seus veículos pela lateral da rotatória. Todos são unânimes (moradores e motoristas) em afirmar que aquela rotatória tem que ter uma sinalização semafórica, para evitar novos acidentes. Eles apelam às autoridades.
ACIDENTADOS NO TRÂNSITO SUPERLOTAM HOSPITAIS: “Os acidentes ocorrem quase todos os dias, intensificando ainda mais nos feriados e nos finais de semana, superlotando os corredores do Hospital Municipal”, afirmou a vereadora Ivete Bastos (PT).
Ivete Bastos demonstrou  preocupação com relação ao número elevado de acidentes de trânsito em Santarém. Ela disse que as ocorrências são alarmantes, pois dependendo da gravidade do acidente provoca a morte das pessoas e, em outros casos, deixa sequelas profundas, levando as vítimas com invalidez permanente, principalmente os jovens. “É um absurdo. Os acidentes ocorrem quase todos os dias, intensificando ainda mais nos feriados e nos finais de semana, superlotando os corredores do Hospital Municipal, porque já não tem condições de receber tantos acidentados na sala de sutura, na reanimação e nos centros cirúrgicos”. Ivete acrescentou que tudo isso também provoca a superlotação do Hospital Regional que atua com o tratamento de alta complexidade.
A Vereadora propõe que sejam verificadas as causas para tantos acidentes que acabam inviabilizando as cirurgias eletivas, bem como no tratamento de outros pacientes. Além disso, principalmente no Hospital Municipal, se não bastasse tantas ocorrências faltam também materiais hospitalares básicos.
Sobre o elevado número de acidentes em Santarém, Ivete Bastos pede que as autoridades encontrem uma maneira de amenizar a situação, uma vez que a cada dia os hospitais da cidade estão se tornando um caos.
A vereadora manifestou preocupação com os traumas causados às famílias e às vitimas, que sofrem grandes danos psicológicos em decorrência dos acidentes, mas, além disso, segundo ela, está se criando no País uma legião de mutiladas, na maioria dos casos envolvendo os jovens. Essas pessoas vão se tornar pesadas à previdência social, haja vista que a maioria vai ter um benefício pago pelo contribuinte para o resto da vida. “Penso que está faltando a presença constante dos órgãos responsáveis pelo trânsito, assim como leis mais rígidas e uma educação eficientes, que se preocupe com a prevenção dos acidentes de trânsito”, finalizou Ivete Bastos.
Por: Jefferson Miranda